Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como ampliar as possibilidades de Escolha? O que acontece com a grande maioria que não se vê escolhendo?

Perceber a escolha é o primeiro passo para ampliar as possibilidades.

Perceber-se escolhendo, saindo do TENHO QUE, para o EU ESCOLHO.

Trouxe o contexto da pergunta de alguma forma para aqueles que não escolhem, que se encontram em ESTADO DE INSTINTO, estado de sobrevivência, para os milhões de nós que vivem no imediatismo do comer, como escolher desse lugar? com que olhar? com que perspectiva?

Como ampliar uma perspectiva tão limitada, imposta pela dura realidade da exclusão?

Será que nós que escolhemos podemos apoia-los a mudar a perspectiva? ou melhor podemos criar novas possibilidades para que estas perspectivas de escolhas possa surgir?

Sinto, e apenas me surgem ideias, ou hipóteses aqui, não tenho ainda como valida-las e preciso de ajuda.

Vejo iniciativas de apoio, de doações, de cuidado por todos os cantos (poucas perto do problema, mas muitas se formos olhar pra quantidade). Porém vejo um padrão finito, um apoio finito, momentâneo, sem criar um novo fluxo, uma nova oportunidade de escolha.

Posso estar errado, mas é o padrão que vejo nos pedidos de doação da ONU, UNICEF e tantas outras iniciativas grandiosas (Sim existem movimentos de fluxo, mas em minoria). É também o padrão emergencial das inúmeras pequenas/grandes ações de doação de alimentos e/ou roupas que atende a emergência mas não apoia ao surgimento de novas perspectivas.

Me veem presente, a instalação de softwares, de jogos, de metodologias, que possam ser inseridas e replicadas pelos próprios, para que a partir deles sejam demandas os recursos necessários não para somente sobreviver, mas sim para prosperar e por em fluxo novas possibilidades de escolhas.

Me parece difícil explicar sem contexto, mas acredito em iniciativas como o Jogo Oasis que estimula a decisão de ação de impacto, pelo próprio individuo que sofre do meio em que a ação vai ser gerada. Como amplificar esse modelo e permitir UMA NOVA PERSPECTIVA DE AÇÃO.

Como escolher quando duas oportunidades boas se apresentam? Como aceitar a renuncia?

Como escolher quando duas oportunidades boas se apresentam? Como aceitar a renuncia?

Como mudar o personagem da percepção?

0