Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como seria se conhecêssemos uma nova pessoa por dia? (6/out)

Imaginem todo dia nos apresentarmos a alguém que ainda não conhecemos.

Exercitarmos todos os dias uma forma de dizer quem somos, de onde viemos, o que temos feito, o que gostamos de fazer, pessoas que conheço e nessa linha de tentar passar ao outro quem somos, descobrirmos alguém pela primeira vez.

Essa reflexão me fez voltar no tempo e lembrar da dificuldade que tinha de me apresentar a outros, em todos os aspectos. Me considerei por muito tempo alguém tímido, introspectivo em algumas áreas, mais sociais, de trabalho e relacionamento, em contrapartida tinha o extrovertido em mim em fazer amigos, normalmente em ambientes mais descontraídos, como se me sentisse mais a vontade ali.

Olho pra esse tempo e percebo que não era sobre ser extrovertido, tímido ou introvertido. Era sobre em que lugar eu me sentia bem pra me expor e me deixar conhecer, estando aberto a conhecer a outros.

Penso em um café, um bar ou ambiente desenhado para conversa, talvez esses fossem os ambientes da época, mas e hoje que ambiente temos?

Quais ambientes estão preparados para que conheçamos uma pessoa nova por dia?

Me vem em mente cafés novamente, espaços de aprendizagem mais cool, eventos abertos, palestras com temas em comum e por que não parques.

Locais para interação social existem desde o inicio dos tempos, locais para conversa, ambientes que priorizam a conversa em circulo e encontros celebrativos. Nossa cultura e a de quase todos os povos tem suas datas e agendas para estes encontros, na maioria familiares, mas muitos deles para trocas com outros. Como criar o habito nas comunidades de que conheçamos alguém novo a cada dia?

Mais perguntas, que bom. Todas vez que conheço um pouco mais de alguém, e conto minha história a outro, é como se ao mesmo tempo eu reforçasse minha história, celebrando-a e de certa forma ampliando o campo de possibilidades por estabelecer um novo contato empático, conhecendo alguém que me conhece e que eu conheço.

Quero abstrair aqui o networking profissional, aquela tradicional troca de cartões, sei la quantos cartões tenho nas minhas caixas. Falo aqui das pessoas que conheço sem cartões, sem rótulos, simplesmente conhecendo O INDIVIDUO. O que ele faz e sua história (certamente um pouco dela), pois penso que jamais um individuo consegue dar o panorama total da sua experiencia a outro, é quase impossível pelo fator tempo.

Passei um tempo conhecendo novas pessoas apresentadas por quem eu já conhecia. Do tipo, Rafa você tem que conhecer o fulano de tal, vou aproximar vocês, e nesse fluxo ia conhecendo novas pessoas, novos círculos.

Respondendo a pergunta inicial, conhecer uma nova pessoa por dia, e talvez criar essa meta, pode me permitir expandir a cada dia meu campo de possibilidades, pode permitir aperfeiçoar e celebrar a história que conto de mim mesmo. Pode ainda permitir descobrir em mim através de espelhos de outros ainda desconhecidos, novos saber sobre mim mesmo que ainda não despertaram ou não foram utilizados.

Podemos reconhecer outros? Conhecer novas histórias de quem já conhecemos?

Podemos reconhecer outros? Conhecer novas histórias de quem já conhecemos?

Quem você conheceu hoje?