Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Que outros espaços ou atividades me percebo conectado da mesma forma?

Falava sobre me sentir conectado comigo mesmo ao escrever…estendo a percepção de conectar-e consigo mesmo, em que lugares, em que situações?

Quando estou praticando a arte de anfitriar sinto essa mesma energia de conexão comigo mesmo, seja no ambiente de um art of hosting, como também em ambientes de conversas significativas. Quando me permito estar atento escutando o outro de alguma forma estou conectado comigo mesmo.

É como se ao me conectar com outras pessoas, a parte de mim que é necessária para que isso aconteça esteja na sua conexão máxima, é como se eu o fizesse não por mim, mas pelo outro. Esse movimento originado em prol do outro de alguma forma gera uma conexão interna que me favorece ao me sentir bem, ao me fazer bem, ao estar sendo pleno.

Creio que o espaço interfere pouco, claro que um espaço acolhedor, com ambiente pra conversa, pouco ruidoso, e cuidado com carinho ajuda. Mas a forma que ocupamos este espaço é muito mais importante, em uma mesma sala de escritório, podemos ter momentos de conexão, como momentos de desconexão, e o espaço é o mesmo, só a muda a forma que o ocupamos.

Levo esse olhar para fora, para as relações, para as organizações, principalmente as que não estou inserido. Como as pessoas estão se sentindo? Como chegam ao espaço? Estão sendo cuidadas? Existe espaço para o dialogo? Existe preocupação no outro? O ego esta calado ou ocupando o controle? O que acontece nas atividades em que não estamos conectados?

Talvez, e muito provavelmente, ao pensar nessa perguntas encontremos as respostas da desconexão, da desconfiança, do desconforto. Quando chego a um ambiente não preparado, começo algo sem preparação, vou logo para a ação, certamente já inicio sem conectar, é como adentrar a um espaço no escuro, derrubando coisas, atropelando, e somente fazendo o que meu ego coordena.

A conexão comigo, começa no outro, para o outro. No meu caso, me conectar as outras pessoas me faz bem, e faz com que eu me conecte mais fortemente comigo, é uma via de mão dupla, algo que não começa antes ou depois e sim junto.

Como estamos nos conectando aos outros?

Como estamos nos conectando aos outros?

Como perceber qualidade de conexão?

0