Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

O que me deixa leve?

Humm, depende do dia, depende de quando, depende em relação a quê.

Na realidade depende de tantas coisas, mas no fundo no fundo depende só de mim.

Fico leve com uma caixa de email zerada, com uma agenda sem afazeres atrasados, me sinto leve com a tranquilidade, também com o conforto. Me sinto leve quando cumpri o que prometi a mim mesmo. E ao perceber que a leveza vem das escolhas que faço com relação ao que prometo pra mim me pego me perguntando, por quê me prometi mais coisas do que podia cumprir? Por quê coloquei obstáculos maiores somente para ficar em divida comigo mesmo?

No automatico me dou conta que perguntei por quê? Talvez a pergunta que mais me desconforte, e me dou conta que a resposta esta exatamente ai, atras do meu ego salvador, do meu ego herói, do meu ego grandioso que permite achar ou pensar que posso tudo, que posso mais do que realmente sou. O por quê em pergunta me faz sentir por alguns segundos culpado por ter colocando tantas metas e tantos desejos idealizados no meu próprio caminho, sempre existiu um outro caminho bem mais leve.

Se pergunto com o para quê? Para quê coloquei tantos obstáculos? Consigo responder com um simples e sincero…para quê eu pudesse aprender mais…para quê em algum lugar de alguma forma eu despertasse outra consciência…para quê eu tivesse experiencia e historias suficientes para me sentir bem comigo mesmo…para quê naquele momento a força, dor ou sofrimento, me dessem combustível para continuar num mundo que premia os perseverantes e heróis.

Para quê eu me sentisse bem…e está tudo bem. Só cheguei até aqui para lembrar quem sou, o que vivi. A única coisa que podia ter acontecido foi o que aconteceu, e quem tinha que vir foi quem veio.

Olho para desejos possíveis agora, desejo de me sentir em casa, desejo de escolher quando levanto e para quê, desejo de dedicar meu tempo a coisas mais alegres, a projetos mais generosos, a proximidade de pessoas que me fazem bem e me abastecem de ânimo.

Estar cercado de pessoas do bem me deixa leve, movimentar montanhas de projetos que acredito serem inovadores, disruptivos e do bem, me fazem bem. Poder receber um amigo na minha casa me deixa mais leve também. Mas acima de qualquer coisa, escolher sem juízo o meu destino o meu caminho, me deixa leve.

Simplesmente complicamos tudo, complicamos demais as coisas, nos carregamos de energias ruins que não são necessárias. Como aprendi com o sábio John Croft, numa era de escuridão, tudo começa por “simplifyyyyyy”, simplificar é a resposta para lidarmos com a complexidade. As soluções não são complexas, os problemas que os são. As soluções na verdade já estão dispostas na natureza, ela pensou antes, já está ai, de forma simples, muito simples, bastando interagir, conversar, conectar e se comunicar com leveza e simplicidade.

Simplifique e deseje o possível agora…tem funcionado pra mim.

Como lidar com a complexidade do nosso entorno?

Como lidar com a complexidade do nosso entorno?

Como sermos mais leves e alegres com nosso próprio ser?