Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Quanto tempo tem o tempo? (16/dez)

Assisti um documentário domingo sobre este tema, não só o tema, o título era o mesmo da pergunta, e fiquei fascinado sobre ela.

Quanto tempo? Se fracionarmos o tempo em menores partes, chegaremos a nada, ao vazio. Ao mesmo tempo se maximizarmos o tempo além dos séculos e milênios também teremos espaços tempo não percebíveis pela nossa espécie.

Einstein descreveu a relatividade com extrema sabedoria. As velocidades até mesmo as da luz, e das estrelas só são percebidas em função do tempo, e tudo se reflete a tempo, tudo que é percebido é percebido no tempo, vivemos no hoje do tempo.

Em todas minhas palestras reflito sobre o tempo como um dos 3 recursos da humanidade (os outros dois são matéria e conhecimento), um recurso ínfimo, não recuperável e perecível, minha percepção neste momento se confunde, será que é perecível?

Ao assistir esse documentário entendi melhor como surgiram as percepções universais de tempo que temos hoje, horas, dias, segundos, semanas, e nosso calendário conhecido. Ao voltar na origem desses padrões obtemos uma conexão com a percepção humana. E se? somente e se? estivéssemos em uma hera que precisamos medir o tempo de outra forma, segmenta-lo de outra maneira? Os relógios ponto, os tempos de trabalho como conhecemos, os dias da semana pra descanso provêm da era industrial, e se isso não fizer mais sentido?

No nosso tempo só sabemos que nascemos e que morreremos, sem saber quando. Nesse espaço entre esses dois acontecimentos podemos viver observando, se divertindo, sofrendo ou lamentando. É só uma recorrente escolha nossa ao que acontece ao longo do dia. Sim temos vitimas que não tem escolhas, acidentes impensáveis, e outras catástrofes da interação matéria vs ser humano e vice versa.

Podemos viver intensamente o tempo, aproveitando ao máximo, podemos descuidar da saude e viver menos, podemos cometer loucuras e abreviar nossa estada por aqui. Ainda assim o tempo permeia por tudo que fazemos. O documentário me mostrou o quanto aprendemos a economizar tempo, com aviões e transportes, o quanto conseguimos guardar tempo, com fotografias e videos, e talvez a mais antiga a escrita.

Estou sempre lutando contra o tempo, até mesmo agora escrevendo na terça feira, um texto que era pra ter sido escrito no domingo, numero de textos ou textos em números, tudo ao seu tempo, o tempo de cada um, o tempo do hoje.

Qual a percepção do tempo do outro?

Qual a percepção do tempo do outro? (17/dez)

O quão empoderadas estão as pessoas no teu entorno?