Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

O que me paralisa?

Autojulgamento? Retaliação? Angustia? Ansiedade?

Eu mesmo...sou responsável pelo que me paralisa.

Quando uma escolha é adiada, uma definição acumulada, ela por si acaba ocupando um espaço na minha consciência engarrafando meus pensamentos.

É como se eu mesmo fosse responsável por bloquear o fluxo na minha mente. Sim por culpa do medo, mas muito mais por não estar me amando o suficiente para expandir minha autoconfiança.

Quando estou bem comigo mesmo, tranquilo pelas escolhas que estou fazendo, minha autoconfiança sobe, minha autoestima se equilibra, meu tempo flui e minhas escolhas são facilitadas, assim não me sinto paralisado e logo estou em movimento.

A naturalidade expande o campo de possibilidades, estar em fluxo, aberto, conectado aos demais e me comunicando a partir do coração, me permite me manter presente, vulnerável e forte para colaborar com os demais e receber a colaboração do meu entorno, sozinho nada posso, sozinho nada sei.

Quão difícil é pedir?

Quão difícil é pedir?

Medo de quê?

0