Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como começar a escrever?

Perguntas com o "como" me jogam em labirintos pra encontrar respostas, talvez, o como seja gerar novas perguntas, se perguntar o que é preciso escrever, ou "Para quê escrever?"

Ao tentar entender minhas histórias, ou utiliza-las para novas reflexões, me fiz essa pergunta de como comecei a escrever, olho agora e me pergunto "Para quê comecei a escrever?".

Transcrevo o Primeiro parágrafo escrito em 9/8/2011.

"Ontem foi um dia chato, acordei as 5 e meia da manha, meio corrido, mal dormido, cansado, peguei meu carro e rumei para Tanhaçu, uma hora e quinze minutos de viajem, em alta velocidade é verdade, porque será que corro tanto? Tenho o prazer de dirigir a 140km/h as vezes 160, porque tanto? Será que valhe a pena, o tempo passa mais rápido, me desligo do resto, quando sozinho no carro estou em outro planeta, comigo mesmo, algumas musicas tocam e me lembro do passado, porque tantas lembranças, tantas duvidas..."

Comecei a escrever em um momento que necessitava novas perspectivas, novos caminhos, a época isso me ajudou a soltar, a fazer novas escolhas e a pensar novas formas de estar vivendo,  foram escritas em formas de diário, mas relendo agora, vejo que fazia algumas perguntas a mim mesmo, novas perguntas, pra mudar a perspectiva do que vinha fazendo, no inicio foram textos de reflexão, de reclamação, me vitimizando muitas vezes, porém aos poucos as perguntas foram me ajudando a tomar novos rumos, que faziam mais sentido pra mim.

Passou um tempo até voltar a escrever outra vez em 2016, com perguntas sobre colaboração, ao perguntar, e buscar mais perguntas acabei encontrando a forma que se ajustou para que eu escrevesse mais fácil, fazer perguntas, e mais perguntas, exercitando novas formas de resposta a cada dia mas que ao desenrolar do texto me geram novas perguntas a cada final.

Talvez contando o como comecei a escrever, desperte em cada um o seu "Para quê escrever?", como diário que nos fortalece e nos torna visíveis, como forma de contar histórias, de criar histórias, ou simplesmente de escrever para si mesmo e tornar visíveis os pensamentos e percepções.

Escrever pode ser uma forma de celebração ou reconhecimento?

Escrever pode ser uma forma de celebração ou reconhecimento?

Como empoderar outros através da suas histórias?

0