Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como estas trabalhando o conhecimento sobre ti mesmo?

O que sei que sei?

Quais os conhecimentos adquiridos sobre mim mesmo?

São perguntas generosas, profundas e em evolução constante. Trabalhar ou estar cuidando do autoconhecimento, da evolução própria da percepção sobre nós mesmos é uma arte.

Tem dias que não me suporto, avalio como improdutivo na minha própria evolução. Outros dias percebo novas habilidades adquiridas que me fazem sorrir e abastecer meu ego de um lugar mais tranquilo.

Pode parecer maluco, mas converso comigo mesmo em meus pensamentos diariamente. As vezes em excesso, outras vezes abaixo do necessário. Escrever é uma forma de refletir sobre o que conheço, uma ferramenta para me trabalhar. Pode ser egoísta, mesmo que eu publique meus textos, escrevo primeiramente pra mim, para trabalhar meu autoconhecimento.

Registro meus pensamentos, registro o conhecimento refletido no dia. Lembro sempre de uma plaquinha que dizia…”Vim aqui te ver pra lembrar quem sou”. Escrevo aqui para lembrar quem sou.

Construi uma rede de apoio ao longo dos últimos anos, na qual tenho a liberdade de pedir feedbacks, de solicitar que me dem retorno de como estão me vendo, do que percebem nas minhas ações? e se tenho evoluído? Me vulnerabilizar e perguntar abertamente o que vem sobre mim me permite melhorar.

Percebo neste minuto que tenho feito isto no trabalho também, talvez em menor escala, pedindo que quem possa me retorne, e me de um feedback de como me vê.

Apreciar a mim mesmo, saber e refletir sobre o que eu conheço de mim, me permite também refletir saber o que ainda não sei que sei expandindo o campo de possibilidades.

O que sei que não sei?

O que sei que não sei?

Como estar presente e perceptivo a essas entregas de recursos?