Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como encerrar ciclos, sem ser desagradável? (16/fev)

Encerrando abrimos espaço para iniciar…

Encerrar ciclos somente em nós é mais fácil, encerramos e pronto, porém encerrar ciclos que envolvem outros se torna as vezes mais complexo, por que não só o ciclo se encerra, a relação também pode se encerrar e não sabemos como dizer.

Sábado tive dessas oportunidades únicas, de comunicar o fim de um ciclo, e comunicar o fim de uma relação que demanda mais tempo que posso dar. O cara que no dia 5 de janeiro me abraçou me pedindo uma oportunidade, que a teve no dia 6 ajudando a limpar a frente da SImplify e depois se conectou novamente no dia 9 de janeiro, jogando uma garrafa de bebida fora para estar conosco na Simplify voltou.

Já tinha estado algumas vezes a minha procura, mas dessas vez nos encontramos. Como minha escolha era não dedicar mais tempo, dessa vez tínhamos só 5 minutos pra conversar. Gosto muito dessa pessoa, mesmo nos olhos marejados e sofridos vejo um bom homem bom, mesmo engolido pelo vicio do álcool e de más escolhas, vejo um coração enorme, igual ao coração de todos nós, se buscarmos fundo, lá fundo queremos as mesmas coisas, ser felizes e amar.

Não foi uma conversa fácil, mas me apoiar em outras histórias me fez mais fácil, nunca vou saber como foi a perspectiva dele ao ouvir, já que não perguntei. Me apoiei no olhar que as oportunidades ficam espalhadas no tempo, como fichas que escolhemos recolher e utilizar ou não. Lamentavelmente ninguém descobriu como voltar e viajar no tempo, ainda não encontramos o “Delorean”. Com esse olhar consegui mostrar outras situações criadas e não aproveitadas.

Lembro de falar de um salão onde corto cabelo, que teve a oportunidade de nos tempos ociosos ajudar outras 4 pessoas a terem seu cabelo cortado depois de muito tempo. A oportunidade existiu, a barbearia topou mas não agendou, e a oportunidade passou.

Oportunidades vão e vem, dentro de seus ciclos, só que se o ciclo não é fechado, em algum lugar na nossa mente fica presente a possiblidade existente e que ainda pode ser utilizada. Descobri que quando findamos ciclos, encerramos estas oportunidades abertas que as vezes nos tomam tempo. É como a velha frase, um tiro dado não volta mais. Uma oportunidade criada nunca é igual na segunda vez, e pode nunca existir renovo.

Falar de fim de ciclos, falando de oportunidades não aproveitadas deixa o tom desagradável de lado, e evidencia o tom das ESCOLHAS de cada um. Cada ser é responsável por abraçar ou não as oportunidades que lhe surgem na vida, e as vezes UM NÃO pode representar muitos SINS, e está tudo bem.

Feche ciclos, para criar novas oportunidades.

O que ocorre quando somos surpreendidos por experiencias postivias?

O que ocorre quando somos surpreendidos por experiencias positivas? (17/fev)

O que acontece quando vamos direto ao que importa? (15/fev)

0