Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Até onde vai minha zona de conforto?

…talvez até onde gatilhos de comportamento não adorados por mim são acionados.

Experimento, compartilho e falo muito da importância dos espaços caórdicos. Porém existe um conflito interno, talvez pelo longo tempo na sociedade do controle, que meu insconsciente se ativa e grita pelo controle.

Parece maluco, mas fui treinado para controlar, como gestor, como engenheiro de planejamento, como engenheiro de custos e recursos e como gerente de obras e contratos. Meus hábitos cerebrais se encaixam mais facilmente na ordem do que no caos. Pouco a pouco vou aprendendo a aceitar e permitir que o inesperado aconteça, mas ainda assim minha incoerência humana se sobressai confrontando o que falo com algumas atitudes que não me apoiam.

Por que trago esse dilema? Não sei, ele existe em mim, se apega ao controle, que ativa meu inconsciente crítico de olhar tudo que não funciona e sugerir ou pensar uma solução com tempo de resposta quase que imediato. É como se fosse o vicio do Pardal, algo não funciona penso na solução, algo vai mal, outra solução, alguém fez algo diferente do que pensei, meu urso critico aflora e emite observações a respeito do que não funcionou, no lugar do que funcionou bem. Automaticamente isso afasta o outro e me afasta de mim mesmo.

Para quê trago esse observar? Para me fazer pensar o que acontece fora da minha zona de conforto, sim me permito aprender, deixo a aprendizagem fluir, e esta, a pergunta do o quê estou aprendendo agora? É que tem me feito me julgar e me chicotear menos, expandindo aos poucos minha zona de conforto.

Zona de conforto pra mim é sobre o mundo conhecido, sobre o que vejo no mundo e já conheço, já experimentei. Trago alguns exemplos extremos, não me assusto com uma rebelião de funcionários, nem tão pouco com uma obra em chamas, ou um alagamento de altas proporções, da mesma forma me é fácil coordenar grandes equipes. Ainda nos extremos, não me assusto em falar pra 500 ou 1000 pessoas, não tenho medo de apertar a mão de um governador sem saber quem ele é, tampouco me assusto com um extrato negativo no banco, ou números e dados em extrema quantidade que precisam ser sistematizados.

São contextos, não me assusto com uma discussão, um embate, ou um problema aparentemente sem solução. Afinal pra mim não existe problema que não possa ser resolvido.

Olho para este contexto e me percebo em uma zona de conforto extensa, tão grande que não encontro lugar confortável. Sim minha zona de conforto se expandiu demais, virei um coringa que joga junto com todos os naipes e situações. Talvez a minha busca neste momento, diferente de outras vezes onde me propus a expandir minha zona de conforto, seja identificar a MINHA ZONA DE EXTREMO CONFORTO, onde domino e me sinto leve como se estivesse brincando.

O engraçado é que esse espaço delimitado por sensação de conforto imaginário, só existe na minha mente, nos meus pensamentos, liberar meu máximo potencial, depende de cuidar dos meus pensamentos, do que emerge na minha mente. Ainda não estou louco, e espero não enlouquecer, porém o pensar e o refletir, me levam a lugares desconfortáveis muitas vezes que expandem esse espacinho do que conhecemos. Siimmmm zona de conforto é sobre aquilo que conhecemos que já vivemos, que já experimentamos, e toda novidade surpresa e novo aprendizado acontece fora dela.

Com esses observares sobre mim mesmo, retorno e vejo que minha zona de conforto pode tender ao infinito a partir da minha observação. Enquanto eu estiver disposto e aberto a aprender ela vai continuar se expandindo, não sei o que vou aprender amanhã, e esta tudo bem, seguimos no evoluir do aprender que é o que viemos fazer neste mundinho.

O que identifico na minha zona de extremo conforto hoje?

O que identifico na minha zona de extremo conforto hoje?

Como criar formas de dar espaço ao outro?

0