Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como me comunico quando não estou pensando? (9/mai)

Sabe aquela palavra que sai, alguém percebe por você por que você não percebeu que a falou?

Quando só estou sentindo e fluindo comunico a partir de outro lugar, as conexões acontecem em outra parte de mim que não no pensamento. E essa fala pode vir ainda de dois lugares distintos, de um lugar de raiva e reclamação, talvez na sobrevivência, e de um outro lugar de amor e cuidado, talvez o de contemplação e apreciação.

Bugou? Ok, eu também.

Comecemos pelo obvio, quando estou com raiva, no calor do momento, disparo rajadas de palavras na direção do outro, ou ainda pior, na direção de alguém sobre o outro. Reflexões, analises, criticas, julgamentos e tudo de mais pesado que existir nesse lugar de raiva. Se o outro estiver na minha frente, e a resposta for na mesma frequência pode ainda iniciar uma bela briga, batalha ou embate. Normalmente isso acontece sem pensar, e depois por óbvio nos arrependemos e nos privamos em pensamento do por que raios fiz o que fiz.

Nesse mesmo lugar visível de raiva e sentimento de ameaça, existe também um lugar de cuidado, de afeto, de contemplação. Quando estamos tão maravilhados com algo, e talvez em êxtase com alguma situação anormalmente positiva, expressamos palavras em conexões que nem sabemos ao certo de onde, com apreciações lindas, palavras que podem trazer ainda outros sentidos e sabores deliciosos, mas que parecem que não foram ditas pelo nosso pensamento.

Tenho sentido esses dois lugares com frequência, principalmente quando não estou pensando ou raciocinando.

Vibro e vibrei por muito tempo na raiva, na reclamação, na critica em função de expectativas frustradas, não por culpa do outro, mas por culpa das minhas expectativas elevadas baseadas em mim mesmo. E que legal que falamos de culpa, ela sempre aparece, e não me faz bem e por certo não faz bem ao outro.

A escolha de ser mais observador e apreciativo funciona, mas exige mais esforço, exige mais atenção para se manter nesse lugar, gasto energia de raciocínio somente para dizer fica ai, não sai dai, elogia mais, olha pra o que mais de positivo pode estar existindo.

Sim um pouco louco, anormal, converso comigo mesmo, se você não te respeito, eu admito que tenho conversas internas com frequência para ser um Rafa melhor.

Mas voltemos, existe um lugar não pensado que quando deixamos fluir pode tanto ir para o bem, quanto para o mau. Parece que nossa razão ao perceber isso tem dois caminhos, nos tirar do mau quando necessário, dessa critica na busca da razão, e ainda nos manter no bem, quando estamos apreciando para ficar mais tempo nesse lugar.

Sobre a pergunta, reflito que se estou num lugar de amor, de carinho de contemplação, me comunico profundamente cuidando do outro com sabedoria, é um lugar lugar não pensado, dificil e possível. Sim é mais fácil cair no caminho ruim e critico que busca razão, mas como tudo exige treino, quem sabe treinar meu pensamento para me manter lá e não cá, me ajude a fluir de um outro lugar.

Como controlar a mim mesmo e os meus pensamentos?

Como controlar a mim mesmo e os meus pensamentos? (10/mai)

Para quê fazemos movimentos bruscos? De onde vem a carência de atenção? (8/mai)