Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

E se a palavra conflito não existisse e fossem criadas novas variações dela?

A palavra CONFLITO causa tremores na maioria. É interpretada como guerra, embate, luta, briga ou discórdia. Poderia ser interpretada como divergência, diferenças ou diversidade, mas não é. Vejo uma busca e uma fala de uma necessidade de aceitação da diversidade, mas não se olha para o como conflitar.

Já pensei outras formas de chamar conflito no positivo, já que a palavra está tão associada a experiências ruins. Mas olho procuro e ainda fico com o conflito. O que mais ficou cool foi o CONFLI que remete a conflito em inglês, confly que também pode ser conflict.

Trabalhar e cuidar do conflito é um estar em fluxo, permanecer num fluxo de aprendizagem. Perceber que o que o outro diz pode ser diferente e que vem de outra perspectiva, permite no ato descobrir uma forma de utilizar este conflito para aprender algo novo.

Conflow me veio em mente, como algo que remete a construção de fluxo a partir do conflito. No conflito está a emergência, o que emerge, o novo, o que não tínhamos visto ou percebido mas estava lá.

Existem formas infinitas de olhar pro conflito, a grande parte delas de forma negativa, então quem sabe se distinguirmos outra forma olhando para o CONFLOW, conflotar. Já que as palavras todas já existem, quem disse que não podemos inventar uma nova para olhar para o conflito pelo vies de aprendizagem positiva.

Como eu fluo na dissolução dos meus conflitos internos?

Como eu fluo na dissolução dos meus conflitos internos?

Como o fazer juntos pode nos ensinar novos saberes?

0