Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como lido com a frustração?

Ela é passageira e também um bom Feedback do nível de idealização.

Se me frustro é por que uma expectativa sobre mim ou o outro não foi atendida. Parece simples, mas me parece tudo fruto da idealização. Tudo aquilo que planejamos, esperamos, criamos e desejamos é carregado de um pouco de expectativa e idealização, prevemos vários cenários, mas temos internamente o cenário ideal, sem stress, que tudo aconteça como o programado, coisa rara que nunca acontece.

A frustração fica como um ingrediente da vida moderna, me sinto parte desse padrão que está sempre querendo atingir o incansável. Era pra eu estar anfitriando um evento sobre vulnerabilidade neste momento, cheio de energia, aberto ao aprendizado com um grupo lindo de pessoas que tem estado trabalhando junto comigo e trocando evoluções e percepções. O evento não aconteceu, em algum lugar na minha mente imaginei 30 ou 40 inscritos, sala cheia, todo mundo disposto a aprofundar a respeito de vulnerabilidade, a turma toda do ponto cego ali aprendendo e anfitriando junto, num circulo lindo, vulnerável e ao mesmo tempo carregado de aprendizagem. Todas as intenções positivas permanecem, mas o circulo não teve as 30 pessoas, apenas duas se inscreveram.

Ainda assim me permito aprender sobre vulnerabilidade nestes dias, afinal era esta a intenção, aprender e trocar., Frustrar-se é reflexo natural da vida. É um faz parte, todo mundo já se frustrou ou ainda irá se frustrar.

Sobre os sentimentos que emergem nesse momento de frustração. No inicio surge algo como insuficiência, um sentimento de não ter feito o bastante, logo ele é tomado por um espaço de insegurança, de E SES, muitas duvidas do que podia ter sido feito diferente. Como tudo já aconteceu, na sequência vem um sentimento de impotência, por não se poder controlar o incontrolável, afinal convidar pessoas para uma conversa está muito condicionado também a que elas aceitem o convite.

Aos poucos o sentimento de frustração, vai sendo substituído por um sentimento de aprendizado e etapa vencida. Parece fácil, mas ai está a melhor chave que utilizo para lidar com as frustrações, consciente de que elas são passageiras, as sinto, sofro, sinto a dor, mas busco logo em seguida tudo que é possível aprender e celebrar da situação para seguir para o próximo passo evitando a paralisia.

Não tenho as respostas certas, muitas vezes, consigo simplificar a forma como eu reajo ou lido com as situações, pode ser bom pra mim, talvez não pra você, o importante é que quando nos perguntamos o que aprendemos, e quais as opções do melhor que podia ter acontecido, sempre encontramos novas respostas.

Como enxergo as lideranças que percorreram a minha vida?

Como enxergo as lideranças que percorreram a minha vida?

Como me sinto quando o risco bate a porta?