Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Como enxergo as lideranças que percorreram a minha vida?

Hoje acordei com uma série de pensamentos a respeito dos líderes que passaram pela minha vida, os professores, chefes, inspirações e meus pais.

Busco memórias de infância, pra recordar que as primeiras lideranças visíveis não eram na escola, mas sim em casa, espelhando pai e mãe nas observações e ensinamentos diários, acho que é natural quando criança, darmos passos e fazermos muitas coisas para agradar ou ver o sorriso dos nossos país, é uma sensação de tentar seguir os ensinamentos e fazer dar certo.

Entramos na escola, e um novo líder se apresenta, grande, na frente, com uma série de ferramentas e saberes que não temos a mínima ideia. Lembro de estar sempre pronto para o recreio, olho para as memórias com um olhar de adulto, vendo alguém com uma cartilha e um roteiro a seguir, atento muitas vezes as necessidades de cada um daquele grupo de colegas que se forma.

O tempo vai passando, e os primeiros times começam a aparecer, ou a turma do bairro, ou os times dos esportes coletivos. Alguns aparecem em destaque, e por suas habilidades acabam liderando os demais, ou por que são melhores em algo, ou aprenderam antes, ou enfim, apenas somente por serem mais velhos mesmo.

Nesse meio tempo nos passa despercebido a liderança sobre nós mesmos, mas ela está lá, começamos a fazer escolhas, a introduzir disciplina em nossas vidas, organizamos, e em algum nível podemos nos liderar, e assim acabar liderando a outros.

Lembro dos escoteiros, muito jovem já seguindo lideres da minha idade e líderes adultos que nos conduziam, lembro com carinho do Balu, chefe dos lobinhos.

Lembro de não ter consciência de liderança a época, e sim de chefia. Uma pena, mas minhas memórias me levam a lembrar de quem era o chefe, quem tinha o poder, muitas vezes um olhar de quem é que MANDA. Olho para os parágrafos anteriores e sim lembro bem de quem mandava a época.

Começamos a vida adulta, faculdade, trabalho, e os relacionamentos políticos acabam apresentando suas lideranças, organizações de turma, equipes de trabalho, trabalhos em grupo com colegas, turmas de farra, e por aí vai, muitas lideranças me vem a memória, neste momento me vem a memória de eu ocupando boa parte delas.

Formatura, e findado os estudos, entramos de cabeça na carreira, no momento em que tudo é trabalho. Vem o primeiro chefe, a primeira trilha a ser perseguida, para ir ganhando postos. Aprendi com esse olhar de chefe, gerente, poder e hierarquia. A verticalidade dos cargos vai se apresentando, mas por mais que existam chefe e papeis de quem manda e de quem obedece, as lideranças estão ali, invisíveis mais existentes.

Lembro de todos meus líderes de carreira, desde os estágios aos principais cargos, Heraclides, Vinicius Santos, Luciano Beatrici, Alfredo Giardin, Waine,Souza, Leandro Modesti, Carlos Alberto Saffi, Paulo Tadeu, Roberto Ronan, Guilherme Paiva, Mauro Della Pasqua, Mario Albuquerque, Luciano Dallefe entre outros.

É uma lista pequena, foram meus chefes ou líderes imediatos por algum tempo, passei curtos tempos com cada um deles, sempre próximo de 1 ou 2 anos, com cada um, um período e um aprendizado diferente. Existiram outros líderes nesse tempo também, os colegas, os líderes a quem eu liderava, e muitas pessoas que me inspiravam em cargos mais acima ou mais abaixo, mas guardo o nome deste seleto grupo com carinho.

Olho pra todas essas pessoas, para estes líderes da minha jornada, e reconheço o aprendizado com cada um, reconheço a paciência que tiveram comigo nos meus momentos de temperamento difícil. Desde meus pais, professores, amigos e chefes. Olho hoje para o Rafa de anos atras e vejo o tamanho da potência, mas também o tamanho do desafio de domar ou liderar alguém com temperamento tão forte, teimoso e persistente.

Se me considero um bom líder, muito se deve a todos eles, cada um com suas habilidades, aprendendo o melhor de cada ao longo dos anos, e me transformando ano a ano, a partir das experiencias e aprendizados. Enxergo a liderança de uma forma bem distinta de anos passados, enxergando também, que carrego um pouco de cada um, que permaneço líder de mim mesmo, inspirando agora outros e passando adiante o liderar de trabalhar em coletivo como humanos.

Como o sono afeta o meu humor?

Como o sono afeta o meu humor?

Como lido com a frustração?