Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Qual o limite da apreciação?

Para que limites?

A noção de limite, é limitada. Simples assim.

Por que limitar a apreciação, percebo que ela pode se estender, e é possível sim apreciar algo com viés positivo e negativo, só que o negativo vestido de outra forma, com um olhar positivo destinado ao futuro. Oi? Muito confuso?

Apreciar pra mim não é só olhar pro belo, é olhar pro que é feio e ir fundo nele buscando o aprendizado de que a existência dele permite ver o belo. Que olhar apreciativamente é sim olhar pro feio, dando tempo e atenção para que o belo e bom emerja deste olhar. Sempre existe aprendizado em tudo que vemos, apreciar não sobre bom, mal ou o que quer que tenha dualidade e juízo, apreciar é sobre aprender, sobre dar sentido ao que vemos.

Assim sinto que não existem limites para o que podemos apreciar, tudo depende de onde colocamos o foco.

Qual o resultado da prática?

Qual o resultado da prática?

E se confiando nos tornamos apreciativos?