Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

O que pode acontecer quando a vontade de desistir aparece? (28/jul)

E ela apareceu denovo, a vontade de desistir voltou forte, e junto com ela veio um Rafa não agradável, não amável, não aberto, não para uma série de coisas, e ao mesmo tempo violento, impulsivo e lutando por sobrevivência.

Hoje o dia começou tarde, e terminou menos de 2 horas depois, foi um dia curto de apenas 2 horas, minúsculo em tempo, mas gigante em dor.

Almoço de domingo em família, casa cheia, churrasquinho e aquele clima de domingo. Levantei as 11h, como de costume num domingo de descansar pra quem gosta de dormir. E o tempo desperto foi curto, minutos depois de sentar com meu filho no colo, minutos depois de de sair do banho, algo aconteceu. Uma voz mais elevada contrariando, ou contrapondo, um disparo acidental na minha inconsciência, me remetendo a tempos antigos de dor, de defesa, e como um animal protegendo seu ninho explodi.

Explodi com as pessoas que me fizeram no mundo, que cuidaram da minha sobrevivência por mais de uma década, que me deram amor, abrigo e mais uma série de coisas que pai e mãe dão. O disparo veio do movimento do irmão, mas acessou gatilhos mentais antigos de defesa e passado. O gatilho foi rápido, somado a percepção de receber ataque, o contra-ataque foi mais forte, mais violento, a ponto de expulsar todos de casa.

Confesso que os minutos sequentes doeram enormemente muito mais que todo o resto do tempo, o dia acabava ali, 50 minutos depois de ter começado, a raiva veio de um lugar que não sei explicar, os dentes rangeram, e me transformei em algo que não gosto, em que o resultado não é bom. É como se o incrível Hulk tivesse tomado conta do pedaço, mesclo com o desenho por que acredito que além de mim outros também tem essa força e raiva conectada ao instinto animal dentro de si.

Quando estamos sem vontade de continuar, parece que o universo nos envia provações para aprendermos com nós mesmos, refletir, parar e repensar, sobre como se reage. Parece que no pessimismo e na descrença, os gatilhos mais doidos ficam mais próximos dos dedos, prontos para disparar, e se o disparo acontece, a vontade de desistir aumenta, por que a força para retomar, para corrigir e se perdoar é gigante.

Essa vontade de desistir se refere a tudo, desde projetos, a relações, a tudo, inclusive a vida. Ela vai e vem, mesmo que com pouca ou muita dor, ela em algum momento aparece. Em tempos atuais parece que eu tenho visto ela escancarada no rosto das pessoas com mais frequência. É nessa vontade de desistir que também brota algo mágico, algo forte, uma energia de resiliência e resistência gigante que transforma.

Todas transformações essenciais não aconteceram em ambientes favoráveis, ocorreram em labirintos cheio de problemas e desafios com poucos recursos, no limite da exaustão da desistência até que alguém não desistiu e deu o próximo passo.

O dia não terminou bem, foi curto, e só posso escrever sobre ele agora 12 dias depois, mas tenho certeza que a vontade de desistir que aconteceu hoje dia 28, foi tão forte a ponto de colocar algo em movimento para não mais parar.

Qual a percepção quando o silêncio externo está em descompasso com o interno?

Qual a percepção quando o silêncio externo está em descompasso com o interno? (29/jul)

Como participar o otimismo da frequência diária de nós mesmos? (27/jul)

0