Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

Qual a pergunta mais importante pra você? (30/jul)

Para o que você da mais importância?

Essa pergunta emergiu de um papo com um amigo hoje, separamos 4 horas pra preparar o fluxo de um programa a ser aplicado no final de semana. Começamos como todas as conversas nossas, um checkin, um cuidado para entender o momento atual de ambos, e em um certo ponto da conversa, um de nós tinha algo muito importante para trazer ao outro, existia um conflito não falado, guardado para momento oportuno, de uma percepção de um audio trocado 15 dias antes.

Tenho aprendido que quanto mais tempo passa entre o momento em que um conflito ocorreu, e o tempo em que ele é conversado, nossas mentes produzem mais quantidade de artifícios pra nos afastarmos. É mecânico e meio lógico, na busca automática por razão, nossas mentes buscam mais artifícios pra documentar, apoiar ou certificar um ponto de vista.

Esse conflito, foi sobre propriedade, sobre não-colaboração, minha fala foi entendida como de dono, e sim, no contexto podia ser entendida assim, as vezes nosso inconsciente comunica algo que conscientemente não percebemos que estamos fazendo. E mesmo não pensando assim ou não querendo agir assim, uma palavra tirada de contexto pode ser escutada de infinitas formas até mesmo por nós mesmos.

Independente de o que foi dito, percebemos que ambos os lados tínhamos colaborado pra situação, e que por nos colocarmos em lados, começamos a nos afastar no meio do diálogo. Como estamos mais próximos, mais íntimos, e com um cuidado maior nesta dupla um com o outro, acabamos nos permitindo a falar mais sobre o que pensamos diretamente, sem filtro, assim como fazemos em família, de alguma forma essa proximidade diminui efetivamente o cuidado, e algo mal dito pode se transformar numa fagulha que ao explodir nos afasta.

Em determinado momento este amigo me falou com olhos arregalados, o que tu estas falando e a forma com que estas falando “esta me afastando de ti", no limiar em que o conflito deixa de ser conflito e vira um embate, percebemos ambos o nível da vós, os gritos, e em algum momento eu escrevi uma pergunta sobre o quanto coerência era importante para esse amigo? E vi nos olhos dele ao olhar pra pergunta o tamanho da importância, quase que de imediato ele trocou a palavra coerência, por compromisso, mostrando pra mim e percebemos que nosso foco de importância estava diferente naquele momento.

Perguntar ao outro, o que é mais importante, pode não só evitar um embate, como também dar sentido as demais perspectivas diferentes da tua, esse foi meu aprendizado.

Deixar clara essa importância pode permitir que numa conversa em pares, as perspectivas distintas possam ser contempladas, assim como as importâncias diversas de cada um, mesmo que um se importe mais com coerência e o outro com compromisso.

Quando essa diferença fica evidente, a conversa toma outro rumo, e todas as escutas sobre um mesmo assunto podem ser transmitidas, sem que nos afastemos uns dos outros.

O que é mais importante para uma criança?

O que é mais importante para uma criança? (31/jul)

Qual a percepção quando o silêncio externo está em descompasso com o interno? (29/jul)

0