Viver em colaboração amando-me.

Sou um homem forte, confiante, comprometido e livre. Vivendo o presente, compartilhando amor, sabedoria e alegria.

Apaixonado por colaboração, acredito que a abundância de recursos está diretamente associada a conexão das pessoas com propósito comum.

O que emerge quando saímos de um mergulho?

Primeiramente uma calma, oposta a euforia. Um sentimento de paz.

Esse mergulho pode ser em aguas geladas, ou em si próprio. A emersão posterior a imersão, pode trazer novos sentires, novos olhares, uma percepção maior.

Sair do mergulho me permite estar conectado, o silêncio e observação do mergulhar faz com que eu me conecte e alinhe a cabeça ao coração, reconecte meus sentir para perceber. É como se os gagjets do meu corpo se tornassem ativos para ampliar a percepção.

Da pra sair fazendo, eufórico e louco. Da pra sair testando também, mas acredito que o principal é que da pra sair ouvindo melhor e percebendo melhor, para junto com outros dar os primeiros passos.

Afinal depois de um mergulho, o desejo mais forte é caminhar, de preferencia em caminhos pavimentados e orientados ao fluxo.

Como prototipar a si mesmo?

Como prototipar a si mesmo?

Como dar ouvidos a intuição? (28/set)

0