• Rafael Urquhart

Como é me escutar através de uma perspectiva distinta ao momento presente?

No minimo interessante, a depender dessa “perspectiva distinta” que pode ser sobre o copo vazio ou sobre o copo cheio.

Posso me escutar N vezes em busca do que não funcionou e trabalhar naquilo que posso melhorar. Ou me escutar apenas uma vez buscando aquilo que de melhor entreguei e posso repetir. É tudo uma questão de perspectiva e foco.

Por algum motivo, repito mais vezes o primeiro padrão, o de encontrar onde posso melhorar sobre aquilo que não funcionou bem, afinal é mais fácil identificar o que não funcionou e incrementar através de uma pseudo punição ou talvez um seria melhor que…

Sei que talvez agora eu esteja sendo negativo, mas ainda sigo um padrão ligado a razão e culpa, desassociada a resposta com a melhor habilidade. É um aprendizado repetitivo e necessário para distinguir a responsabilidade da razão. Posso ficar buscando na minha formação os gatilhos repetitivos que assinaram que construíram esse padrão de olhar mais pro problema, do que para as soluções criadas.

É uma desconstrução do hábito de analisar, para o hábito do apreciar. Leva tempo, atenção e cuidado.

Mas ok, como é me escutar então?

Tenho percebido que é preciso encontrar o momento certo, aqui falo do se escutar através de gravações de audio ou de vídeo. Dar um tempo, cuidar do novo momento presente, para que ao escutar estejamos buscando contemplação olhando para aquilo que funciona bem. Para e penso que é um voltar ao passado para revisitar tantos audios e videos num primeiro momento desnecessário, mas num segundo momento objetivo em encontrar as melhores versões.

Não é só sobre ressignificar, é sobre aprender a documentar no positivo.

É como se eu pudesse revisitar para criar documentos e lembranças positivas sobre aquilo que já foi dito.

Talvez a pergunta ganharia espaço, se eu escrevesse “através de uma perspectiva positiva distinta do momento presente”. O simples fato de acrescentar a palavra positiva altera o contexto, reduz ao foco sobre o valioso copo cheio, tirando da nova perspectiva a negatividade associada a evolução.

Da pra evoluir reforçando o positivo, parece mais complexo, mas de fato é bem mais simples e consome menos energia.

Como criar estruturas que nos apoiem no trabalho?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f