top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

Como lidar com a flexibilidade e resiliência das gerações que estão chegando? (21/jul)

E que flexibilidade…

Levei minha filha pra patinar no gelo, desisti logo ao ver o primeiro adulto cair no chão. Deixei ela ir sozinha.

Naturalmente ela entrou, calçou e como se sua mente fértil se moldasse saiu patinando, equilibrada, ajudando outros pequenos ainda a encontrar o ritmo e o jeito.

Assim, fácil, simples, com o cérebro plenamente moldavel se jogou. Fiquei acompanhando todos que entravam na pista, percebi que todos acima do peso, pequenos e grandes tinham mais dificuldades, talvez pelo equilíbrio, ou mobilidade mesmo. Mas o medo era a maior barreira, assim como a soberba do acho que sei. O movimento é contrario ao caminhar natural, é deixar-se deslizar, confiar num pé depois do outro até o cérebro aclimar com o que se necessita.

Acho que a bicicleta exige a mesma adaptação. As crianças por estarem mais abertas, já vem com isso de fábrica, fico tentado a estimular, como será, se mantivermos estes estímulos e estas aberturas as crianças, o que aconteceria?

Como se manter aberto, adaptável e com o cérebro aprendendo o que pode ser aprendido no agora?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page