top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

O não limite resulta em quê?

Não limite ou não controle?


Transbordar resulta em quê?


Navego na transmutação das perguntas, pra sair do copo meio vazio negativo do "não limite"para o copo meio cheio do "transbordar".


Incrível como a busca por resultado é permanente, inconsciente, quando devia ser impermanente e consciente.


Buscar resultado para quem, para quê? Resulta em quê para quem?


Resultado sem perspectiva de contexto, pode ser resultado para UM e no mesmo instante prejuízo para MILHÕES.


Fico reflexivo na provocação da pergunta, mas com vontade ainda maior de explorar esse não limite. Talvez foi isso que fiz este final de semana em mais um espetáculo coletivo humano da arte de anfitriar.


Liguei o FODA-SE no máximo volume para silenciar a minha voz interna de auto-julgamento, que cria histórias a todos instantes na busca de aceitação do outro. Foda-se essa voz, não foda-se o outro. Nesse paradoxo de ligar o foda-se para algo, que pode resultar em foda-se para muitas outras coisas na percepção do outro, emergiu um FOFODA-SE.


Ainda digerindo o que isso significa em mim, na busca da simplicidade máxima de que um foda-se é sempre para algo, e não para alguém. Que talvez um fofoda-se seja um grito de cansaço do volume das coisas, sem rasgar a relação pessoal e o respeito pelo outro. É quase que um foda-se aquilo mas amo você.


É fofo, não sei, mas nesse cansaço de que existe muito ruído e tudo é levado para o pessoal, para o julgamento, para o tenho quê, por que não ligar o volume da radio do foda-se na mais alta frequência amando a si da forma mais silenciosa e essencial possível.


É, enfofodar-se da um barato legal. É uma arrogância interna que não silencia o outro. Uma arrogância que não invade, um deixar sentir sem ferir.


E como é bom voltar a sentir no lugar de só pensar, que o pensamento venha daquilo que sinto e não o contrario. E talvez isso não seja resultado, seja só consequência do responsabilizar-se por si mesmo.


Em qual condomínio posso ligar esse foda-se sem que o volume da frequência incomode o vizinho?



48 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Quais as perspectivas de documentar as relações?

Uma foto. Uma mensagem. Um filme. Uma lembrança. Uma ou infinitas histórias. As relações acontecem no agora, mas deixam rastros pela eternidade. Uma briga ou palavra mal dita, uma mensagem bem ou mal

1 Comment


Salva
Salva
May 08, 2023

Que o Fofodase encontre a equilibração de acomodar-se sem incomodar! Beijos, Salva

Like
Post: Blog2_Post
bottom of page