• Rafael Urquhart

O quão impactante é revisitar histórias sobre você mesmo?

Não sei se é impactante ou se surpreendente.

É uma surpresa incrível revisitar conceitos escritos no passado com um novo contexto presente.

Sim as situações vão mudando, novas habilidades vão sendo construídas e principalmente as percepções vão se alterando. Por vezes não me dou conta das coisas que falo, crio e coloco disponível no universo. O que me parece simples pode ser valioso para outros, até para mim mesmo num contexto futuro.

Segunda feira revisitei um material elaborado em conjunto com outras duas pessoas no primeiro semestre do ano passado, a modelagem do material tem a mão incrível do Fabio Carvalho, mas diz muito sobre o que vivemos na Simplify nos seus primeiros meses. Reler o material e explicar os cuidados e pontos de atenção para outra pessoa que quer empreender algo parecido foi enriquecedor.

Algumas frases que a época saíram ao natural, me parecem hoje ainda mais fortes, com mais sentidos pelas histórias construídas depois dela. Olho para traz como as formas aconteceram e é impactante o quão simples foi fazer embora a dificuldade natural de produzir o simples. Percebi que realmente não foi fácil, mas o que foi construído é extremamente simples e poderosíssimo.

Nessa reflexão me percebi explicando os textos, formas, conceitos e experiencias de um outro lugar. Um lugar mais sereno, sem dor, um lugar de aprendiz que ensina. Escrevi algumas vezes que quando ensino e compartilho estou ampliando o meu aprendizado sobre esse assunto, é como se nesse tempo eu pudesse descer ainda mais e torná-lo mais simples na forma de contar.

Em um determinado ponto na segunda feira, me deparei com o falar sobre mim, dos meus erros, dos meus acertos, dos pontos de cuidado que me causaram dor, dos percaustos naturais, das falsas ideologias, das expectativas frustradas e tantos outros pontos naturais da história de qualquer um. Revisitar isso, de um olhar agora mais maduro, onde a história e a experiencia foi transmutada em aprendizado ficou muito, mas muito mais simples, me surpreendi com a minha própria capacidade de sistematizar tudo que aconteceu, entregando talvez o mais importante naquele pequeno momento que tive com o amigo companheiro da conversa de segunda feira.

Sobre a pergunta, eu ressignificaria o tempo impactante por importante. Convido sempre a viver no presente, mas é importante reconhecer e revisitar sempre que possível as histórias que fazem parte de nós, contadas por novas perspectivas a cada visita. É lindo ver o que rolou com outro olhar, ressignificando aonde isso pode ser aplicado.

Se conto minha história para um jovem, para um empreendedor, ou para uma criança. Em cada um que escuta ela pode ser utilizada de uma forma diferente. O que percebo é que é uma supresa cada vez que repetimos o olhar, se a intenção depositada nele é diferente nesse revisitar.

Gera impacto sim, talvez no fortalecer, na autoconfiança, e na certeza de que tudo acontece por um objetivo maior.

Quais as réguas em que você tem dançado?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f