• Rafael Urquhart

O que fazer com tanto conteúdo e histórias?

Fazer nada. Esse peso do fazer com o passado impedem fazer do presente e o sonhar do futuro.

Simples assim. Passei e ainda passo muito tempo me culpando por não colocar o passado em dia. Em partes por saber lidar com dados e querer manter tudo organizado e transparente para qualquer necessidade de apego futura.

Parece bobo, é como se minha imaginação cria-se cenários que não podem acontecer se o meu passado não tiver organizado. Incrível como isso é apenas um cenário. Fico imaginando todos os cenários possíveis de coisas novas sem nenhum tipo de amarração com o passado, simplesmente ligadas ao experimentar.

Armazenar ou distribuir?

Confesso que não da pra distribuir histórias, conteúdo talvez. Esses textos aqui são uma forma de documentar histórias e conteúdo, não a única, existe também o livro, videos, lembranças, memórias, em todas elas o padrão do registro e da documentação.

Ah então o melhor é não documentar nada. Acredito que nem tão lá, nem tão cá. Se a documentação for natural, em tempo presente, documentando enquanto se faz, ótimo. Se não se faz dessa forma, procure criar meios para que essa documentação emerja ao natural, sem muitos planos no inicio, apenas comece.

Se o peso do que não foi documentado apertar, bom, desapegue, se não documentou é por que não era pra documentar, pode ser que exista uma nova oportunidade no futuro de utilizar-se da necessidade para uma nova documentação no presente.

E aqui talvez venha a chave do que fazer…

DOCUMENTE SEUS CONTEÚDOS E HISTÓRIAS NO TEMPO PRESENTE já que que em poucos segundos elas farão parte do tempo passado.

Como convidar sem convencer?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f