• Rafael Urquhart

O que você tem compartilhado?

Por hora reflexões, observação de padrões, conhecimento e tempo.

Acredito que eu esteja compartilhando pouco (dentro das minhas métricas), como observo muito os movimentos a respeito de colaboração, minhas medidas sobre o compartilhar são diretamente associadas à colaboração.

Estou distante de ambientes colaborativos, me afastei de redes colaborativas e tenho circulado muito pouco se comparado aos últimos 5 anos.

Interessante eu me explicar sobre o quanto tenho compartilhado ao invés de focar no que?

As vezes perguntar sobre o que estamos fazendo ou sobre o que fizemos nos levam a justificativas, comparações, métricas e autocobrança. Percebam que nas últimas 3 linhas fui engolido subitamente pela comparação, métrica, competição comigo mesmo.

Preciso de umas duas linhas em branco para pensar melhor na pergunta…



…e se eu adicionasse um contexto temporal do tipo, “O que você tem compartilhado nos últimos 37 anos?”

O contexto temporal estava aberto, podia ser na ultima semana, ultimo mês, recentemente, ultimo ano ou ainda uma visão de futuro com a seguinte pergunta “O que você tem compartilhado para o futuro dos teus filhos?”

Refletir sobre os recursos tempo e conhecimento me coloca a serviço dos demais. É como se o fato de eu trazer presente a percepção que nós mesmos colocamos nossos limites e permitimos ou não aquilo que acontece na nossa cabeça, faz com que eu fique mais leve e tranquilo com o nível de compartilhamento dos últimos anos.

Meu livro esta acessível, minhas reflexões também, afinal sabiamente existe um buscar no meu blog onde é possível escolher uma palavra e encontrar inúmeras perguntas e suas reflexões. Na memória de muitos está algum aprendizado que vivemos juntos e estou disponível para aqueles que me buscam diretamente.

Olho para esse novo contexto e percebo que tenho compartilhado o meu melhor, e acredito que isso basta, nesse horizonte não existe mais nem menos, certo ou errado, pouco ou muito. Simplesmente está o meu melhor, a minha melhor versão, aquilo que tenho de mais precioso.

Aprendi com meus pais que o melhor investimento que eu poderia fazer na minha vida seria no meu conhecimento e aprendizado. Isso é incrível, por que ao mesmo tempo que me sinto abundante até aqui, também sinto que coloco disponível aos que me cercam parte desta experiencia.

Como lidar com a realidade?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f