• Rafael Urquhart

Para quê explicar ou entender o simples?

O que é simples para mim dificilmente é simples para o outro…

Algo se torna simples aos olhos de muitos depois de muito tempo e de muita sofisticação, será verdade essa afirmação?

O que se quer pode ser simples, mas o design da experiencia exige cuidado e tempo para que assim o seja…

Para quê explicar ou entender qualquer coisa?

Necessidade de compartilhar…quando se quer que mais pessoas vejam e validem o que vemos.

Não foi simples caminhar, não precisou entender ou alguém explicar como seria caminhar, fomos tentando de todos os jeitos possíveis, caindo, se batendo, até que a habilidade natural emergiu e simplesmente caminhamos para toda vida, tornamos algo complexo simples, sem explicação ou entendimento.

Talvez tentar explicar o simples o deixe mais confuso, talvez convidar para experiência seja o caminho.

Se você quiser que seja simples pra você, experimente mais vezes. Não preciso te ensinar, nem te convencer, você que precisa ou não experimentar. Lembre que essa escolha é sua, o máximo que posso fazer é tecer uma jornada possível a partir da minha experiencia, de como se tornou simples, possa se tornar simples pra você também, mas você pode descobrir o seu jeito de perceber simples.

Padrões não são simples, são só padrões observáveis.

Uma comunidade que pratica junto, que vive junto, que descobre junto, que se desafia junto, encontra varias formas simples de fazer o que faz enquanto criou o seu contexto.

Olho para a pergunta inicial, e percebo que o simples não se ensina ou se entende. Somente se experimenta, se eu tentar do alto da minha arrogância tentar explicar o simples para que alguém entenda o simples, simples já não é.

Simples é uma percepção momentânea num espaço tempo.

Quando algo deixa de ser simples é por que não mais precisa ser explicado. O é, simples assim.

Qual o padrão no contexto de deixar a liberdade fluir através de infinitas percepções?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f