top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

Para quê intencionar de coração as coisas e situações? (05/fev)

É terça feira, e cheguei com intenções de encerrar ciclos da forma mais positiva possível, olhando para o que de melhor podemos fazer juntos.

A primeira meia hora foram entregas e escritas, seguidas de uma conversa apreciativa, onde a intenção clareou tudo, reforçou laços, e me colou na frente do PARA QUÊ FAZEMOS O QUE FAZEMOS? Conflitos duros ficaram leves e carregados de aprendizado. mas que intenções são essas?

Quando falamos do coração algo mágico acontece, quando ficamos nesse lugar de fala e escuta a magia emerge, conseguimos colocar uma lente que nos permite clarear a intenção um do outro. Julgamentos caem, histórias tristes tornam a possibilidade de novos aprendizados não tristes, e de alguma forma, soluções simples brotam, ações simples movem coletivos, e tudo se conecta e faz sentido.

Gratidão Fabio, por me proporcionar fechar tantos ciclos e conversas não preparadas em um mesmo dia. Gratidão Freitas, por me permitir testar e validar, que fazer ensina e aprende, e que só fazendo podemos evoluir. Gratidão Gabi por me mostrar que as agendas são importantes, mas podemos fluir juntos com elas, com ajuda, e gratidão Ale e Gabi por me permitirem falar do meu coração de uma intenção cada vez mais genuína de entregar e fazer sem me preocupar pelo que vou receber, simplesmente fazendo confiando que o reconhecimento no meio emerge,

Para quê intencionar de coração as coisas e situações?

Para me fazer feliz…

Como as histórias mais violentas e doloridas podem ser ressignificadas? Onde entra a não violência?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page