• Rafael Urquhart

Para quê tantos pensamentos?

O dia inteiro o tempo todo, eles vem e vão inundando cada instante, tirando foco e ao mesmo tempo criando possibilidades.

Li hoje pela manhã num posto com autor desconhecido:

“Comecei a ser livre e leve quando descobri que a a JAULA é feita de pensamentos”

Isso me bateu de uma maneira forte, ontem a noite fiquei ruim devido a uma série de pensamentos oriundos dos desgaste que uma frase ou colocação minha causou em um grupo de WhatsApp. Poucos segundos para escrever, e horas pensando no resultado disso.

Verdade, pensamentos sobre como poderia ter sido diferente ou sobre o mal ou bem que isso causou no outro, ou ainda sobre todos os pensamentos possíveis pensados pelo outro. No fim fui dormir, e o assunto já ficou no passado. Porém uma ação e infinitos pensamentos.

Escrevi tem um tempo, que se me preocupo é por que me importo, se gasto tempo pensando é pela elevada importância que dou por onde passo. Coerência? Cuidado? Capricho? Ou perfeccionismo?

Não sei, mas se tivesse um “pensômetro”, o contagiro diário estaria no pico.

Que tal ir fazendo, refletindo ao invés de só pensar? Que tal manter o cuidado sem exagerar nos pensamentos? E que tal ainda se sentir livre pelo fato de não estar pensando em nada?

Não tenho respostas, me surgem sim mais perguntas, afinal vale a máxima.

NADA É MAIS RÁPIDO DO QUE A VELOCIDADE DOS PENSAMENTOS.

Como fluir com o que emerge no dia a dia?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f