• Rafael Urquhart

Quais histórias gostaria de pedir para que os outros contassem sobre você?

Pedir para alguém contar uma história minha me parece não natural. Tenho pensado em como deixar um canal aberto para que estas histórias surjam. Vejo alguns movimentos no face com a corrente “Como você me conheceu?” ou outras mais simples, como “Que palavra faz você lembrar de mim”? e fico refletindo de como seria, se alguém ao ler algo que escrevi se sentisse inspirado a narrar uma história vivida comigo.

Meus pais costumam fazer isso recordando algumas passagens do tempo que morava com ele, quando encontro amigos que não vejo a tempo muitas histórias divertidas emergem a e meu respeito. Ainda assim isso emerge naturalmente, não depende de um pedido meu e também ficam poucos registros.

Quando fiz o lançamento do livro em Porto Alegre, o Gui Viegas me deu um presente. Anfitriou uma conversa onde a pergunta era “O que você reconhece no Rafa?”. Muitas das falas vieram carregadas de história e foram percebidas pelos que la estavam. Tudo foi gravado mas talvez não registrado.

Reflito um pouco e acredito que a pergunta que eu faria no pedido seria “O que aprendemos juntos?”, simples assim, aberta, deixando que cada um no seu contexto lembrasse de algum aprendizado que compartilhamos. Talvez assim eu não definiria ou limitaria as histórias que eu lembro, mas sim deixaria que surgissem aprendizados que talvez eu não lembre mais e se apagaram no tempo entre outros.

Contar algo sobre mim? Ja experimentei uma série de narrativas próprias da minha perspectiva, mas tenho curiosidade em outras possibilidades. Estou construindo no meu site um registro da minha história biografia, uma linha do tempo aberta, convidando a participação para que cada um conte um pouco dos aprendizados que vivemos juntos.

Venho a um tempo pensando em deixar disponíveis as histórias que vivi, parte delas é claro. Porém entre ondas infinitas de ideias, ainda não tinha ficado claro uma que não fosse extravagante, ou aberta ao extremo. Não comecei por que a história parece longa, sem saber por onde começar e até onde ir. Ontem fiz uma mudança no site que me permitiu começar, contar aos poucos a minha história. Pouco a pouco ela vai ir surgindo, emergindo, dividida por seus setênios.

Fico vivo e confiante que muitos dos aprendizados que tenho guardado em mim, vão tomar vós através da história conta por outros de cada momento em particular.

Como convidar as pessoas para contar histórias sobre você?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f