• Rafael Urquhart

Qual a importância de um sistema de apoio?

Não da mais pra fazermos tudo sozinhos, acho que nunca deu.

Por um tempo achei que ser independente era cool, que o fato de me sustentar garantia que eu podia com tudo sozinho, acelerado a mil, pronto, vou lá e faço.

Com o tempo, e a percepção da colaboração, da interdependência e de que juntos podemos ir mais longe, talvez não mais rápido, mas com constância me trouxe olhares mais atentos pra quem está a minha volta, do sistema que me apoia por todos os lados.

Sempre fui de muitos amigos, por sinal espalhados por todo o Brasil, amigos de farra, do futebol, dos estudos e do trabalho. Tinha poso garantido em muitos lugares e este era o meu sistema de apoio. As necessidades foram mudando, os papos foram mudando também, as conversas e o que era legal foram se alterando no tempo. Não deixei de ter amigos, mas ficaram mais distantes, um pouco longe do que chamo de sistema de apoio.

Hoje me cerco de pessoas que me escutam quando preciso, mesmo que o que eu tenha a dizer não seja legal, ou seja pesado. Estão disponíveis pra me ouvir, algumas pra conversar, outras pra fazermos algo juntos de verdade. O fato delas estarem disponíveis não é garantia de que eu saiba pedir, ou utilize desse recurso construído ao longo do tempo. E por isso a pergunta de importância me fez refletir forte.

Eu dou importância para este sistema disponível? Eu reconheço ele?

Num primeiro momento penso que não, e me cobro neste instante por ser mais claro com relação a sua existência. Não dou valor ou importância ao sistema até precisar dele, nutro constantemente mas não reconheço ou sou claro para quem me cerca que conto com eles, mesmo sabendo que todos falaram o famoso “pode contar comigo”.

Sigo aprendendo a pedir, a ofertar e apoiar quando necessário, ninguém vai me perguntar o tempo todo se preciso de escuta ou de alguma coisa, vou ter que fazer eu o movimento de pedir, deixar claro minha necessidade a este sistema. Já escrevi algumas vezes que pedir não é feio e só o fazemos quando já não vemos solução disponível sozinhos.

Se está disponível, por que não pedir? Qual a razão de se mostrar em necessidade?



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f