• Rafael Urquhart

Qual a percepção quando o campo de possibilidades é infinito?

Medo talvez…

Já que esse campo de possibilidades infinito pode ser positivo ou negativo…

Fiquei um tempo olhando refletindo a esta pergunta, procurando perceber em mim como me sinto ao olhar para esse infinito, para essa imensidão. Engraçado que esse “campo possível” está muito conectado a minha volta, ao que depende de mim, ao que eu posso, quero ou escolho fazer.

Quanto mais amplio a minha capacidade de percepção, maior é este campo, e neste ponto percebo que isso muda sem eu ter escolhido fazer nada, ficar parado. A própria paralise também carrega suas possibilidades.

O mundo parou? Talvez esteja parando..

O fluxo parou? Reduziram-se muitos, ampliaram-se outros. Talvez a mudança drástica de rotina, permita que outros fluxos surjam. Outras percepções de possibilidades emerjam.

Sinto que o fluxo vai diminuir muito, o isolamento das pessoas vai fazer com que procurem as coisas mais perto, mas bem perto, dentro de si. Talvez muitos vão ter a possibilidade de olhar pra dentro, de perceber a volta, de mudar o olhar. Outros talvez não.

Mas para aqueles que começarem a perceber as coisas diferentes, não se assustem, não temam, tem um universo de possibilidades dentro de você não percebido, me arrisco a dizer que é infinito sim e quanto maior mais medo, busque escolher nesse campo aquilo que te permite te fazer feliz, nem que isso seja pendurar um quadro na parede, ajeitar um cantinho em casa pra trabalhar, fazer sua comida ou até mesmo limpar sua própria casa, quem sabe nesse novo campo, novas ideias surjam.

O que sinto quando o fluxo encolhe?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f