top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

Qual a potência, de fato que nos conecta se não a compaixão presente entre manifestação de sentimentos?

A potência da compaixão, emergem quando estamos livres e confiantes para manifestar sentimentos. A comunicação não violenta foi pra mim um caminho para experimentar e ver que existem outras formas de nos comunicarmos que cuidam do individuo. Depois pela praticas de vulnerabilidade muito influenciadas pelas escritas da Brene Brown, observei que quando nos despimos de rótulos, títulos, posições, cargos e dores, nos colocamos em essência frente ao outro demonstrando nossos erros e imperfeições, criando um elo de segurança que nos permite sentir.


"Vim te ver pra lembrar quem sou."


Essa frase me movimento, me conecta, me desperta.


Desconheço o autor, mas a encontrei nas paredes de um lugar mágico e ela me acompanha a quase 10 anos.


A compaixão com o outro, também é combustível na pratica da palhaçaria, na arte de ser quem se é praticada e gamificada brilhantemente pelo Marcio Libar pelos olhos do Meciê Loyal.


De fato vou costurando essas referências que se encontram em mim e produzem através da minha vulnerabilidade outra arte, outro espelho, outra luz. Termino com luz por que é ele quando vista pela lente do bem nos carrega de POTÊNCIA, essa palavra, símbolo e medida para quem estudou engenharia traz consigo peso ou materialidade de algo que é tão sútil.


Quando choro, manifesto aquilo que sinto, observo em mim e no outro o que é comum, faço o pedido magico daquilo que preciso no agora na minha máxima vulnerabilidade, me deixa ao mesmo tempo leve e forte, é como se o peso do "tenho que" se fosse, e a mágica do "eu escolho o melhor pra mim agora" emerja. Parecem simples mudanças de perspectiva de manifestação, mas não. São espelhos de ser quem se é na sua melhor versão possível agora disponível ao outro, com um espelho desvelado para que possamos nos refletir e nos iluminar através da compaixão dos nossos sentimentos e histórias contadas através deles.


Todo ciclo precisa de luz, todo ciclo precisa de espelho, em mais um ciclo quem ou quais foram os espelhos que refletiram que eu sou nesse ano ímpar?

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Quais as perspectivas de documentar as relações?

Uma foto. Uma mensagem. Um filme. Uma lembrança. Uma ou infinitas histórias. As relações acontecem no agora, mas deixam rastros pela eternidade. Uma briga ou palavra mal dita, uma mensagem bem ou mal

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page