• Rafael Urquhart

Qual o preço da liberdade de se escolher como e quando trabalhar? (19/jul)

Ontem minha filha chegou para passar as férias comigo…decidi passar um tempo com ela a tarde. Claro, para isso, o trabalho na noite anterior foi até tarde, e despertei as 5 da manhã pra dar continuidade e abrir uma janela de tempo no meio e fim da tarde de sexta.

Administrar o tempo com essa liberdade, na certeza de se estar fazendo o que precisa ser feito é especial. São poucos os momentos com ela, justo na vinda dela, minha demanda de trabalho foi no pico, tudo ao mesmo tempo, agendas se misturando, horários batendo uns com os outros, tudo em sincronia como se eu buscasse a minha máxima potência.

Poder ir as 11 da manhã, numa praça, conversar, dar umas risadas, e voltar ao trabalho 1 hora depois sem deixar de entregar o que é necessário, com a mesma responsabilidade pra brincar que é dada ao trabalhar, sendo que as vezes já não consigo mais distinguir um do outro, quando ambos me divertem me deixa livre, leve comigo e com quem me cerca, estranhando ainda esse vai e vem, mas confiante que este estado de fluxo e potência veio para prosperar.

Quando alguém mais novo que você te ensina algo?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f