• Rafael Urquhart

Que jogos você joga?

Essa pergunta sempre me apoia a corrigir caminhos, não é nova, já refleti e trabalhei muito sobre ela.

Ela me pega em cheio por ser um dos mecanismos/ferramentas do Seminário Insight I que mais me ajudaram e continuam me apoiando na minha evolução.

Jogo o jogo da arrogância muitas vezes por achar que já sei.

Jogo o jogo da teimosia por insistir no que acredito.

Jogo o jogo da adaptabilidade que por si só se explica.

Jogo o jogo da perfeição, nunca está bom o suficiente.

Jogo o jogo da procrastinação, sempre da tempo, no final eu consigo.

Jogo o jogo da preocupação, turbino minha cabeça com coisas que não aconteceram.

Jogo o jogo da simplicidade, se procurar bem sempre tem uma solução mais simples.

E jogo tantos outros jogos talvez menos duros e mais simples ao longo da minha jornada.

Esse jogar o jogo é sobre os jogos que ESTOU JOGANDO AGORA, me perceber neles, observar, interpretar e agir de forma diferente permite que eu escolha os jogos que jogo a cada instante também escolhendo os acordos e a forma que posso estar presente nestes jogos.

Aonde foi parar o otimismo?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f