• Rafael Urquhart

Quem se importa com o tempo desperdiçado por mim?

Quem julga se um tempo é desperdiçado ou não?

Quem escolhe desperdiçar tempo?

O que é se importar? Ser impactado, sofrer as consequências ou simplesmente se preocupar comigo?

Mais perguntas para mergulhar na reflexão, de que talvez a resposta sobre “quem” se resuma as pessoas que gostam de mim. Por exemplo, neste instante, aos olhos de quem estou desperdiçando tempo? Os meus ou os de alguém que acho que está julgando dessa forma?

Ontem enfrentei um fato bem curioso, estava retornando de uma viajem a trabalho, uma sequência de voos, tradicionais escalas, pra voltar pra casa. No primeiro voo um atraso de 1h e 15 min. Tecnicamente o segundo voo tinha ficado apertado, e talvez, somente talvez, eu tinha a chance de perder o segundo voo e ter que dormir na cidade onde seria esta escala.

Avião pronto pra decolar, e um senhor manifesta que não esta se sentindo bem e pede para o avião retornar ao aeroporto. A primeira reação foi de raiva, ou peso, do tipo, poxa, agora que tava saindo o cara passa mal. Fiquei observando esse sentimento ou perspectiva enquanto o avião retornava para o ponte de embarque. Tecnicamente mais 30 min de atraso e a FALSA certeza de que a escala seria perdida.

Aos poucos fui tentando buscar qual o aprendizado aquela situação estava me trazendo, afinal eu estava perdendo um tempo em casa, em função de uma situação alheia a mim e fora do meu controle. Aos poucos a raiva foi diminuindo, a ansiedade de ir pra casa também, até que percebi algo excepcional.

Essa pessoa escolheu cuidar de si E QUE BELA ESCOLHA, imagine o tamanho do mal súbito, para ela escolher parar o avião, atravessar todo o corredor (ela estava nos fundos do avião) frente a mais de 100 passageiros que tenho certeza que podiam estar boa parte deles com a raiva ou desapontamento iguais ao que senti. Os olhares curiosos eram pra saber quem tinha passado mal e atrasado todo mundo.

Assistindo a cena dele cruzando o corredor, pra cuidar de si, me veio presente todas as vezes que escolhi não atrasar um avião inteiro deixando de cuidar de mim. Quantas escolhas já fiz para não desperdiçar tempo pra cuidar dos outros descuidando de mim. Em algum lugar eu estaria desperdiçando tempo de muita gente, jogando uma serie de recursos fora. E isso no meu julgamento seria injusto independente da minha condição ou necessidade de cuidado comigo mesmo.

EU ME IMPORTO COM O TEMPO DESPERDIÇADO POR MIM. Para comigo e para com os demais.

Não existe ninguém que mais se importe do que eu mesmo, eu escolho colocar a tag ou não no tempo que desperdicei. Escrever não é desperdiçar tempo, me preparar para trabalhar, relaxar, dormir, também não são desperdícios de tempo. Pensando bem, se eu quiser mudar minhas interpretações posso não mais desperdiçar tempo e observar todo o tempo de vida como um tempo útil e não desperdiçado, só mudando a perspectiva aliviando a cobrança comigo mesmo.

Não perdi a escala (o outro voo também atrasou) e cheguei bem em casa. Espero que o passageiro professor da vida, também esteja bem nesse momento e tranquilo com suas escolhas.

Por que não parar um avião inteiro pra cuidar de mim? Preciso temer a morte pra fazer isso?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f