• Rafael Urquhart

Será que sou só eu, ou estamos todos inflexíveis?

É apenas uma percepção presente.

Tem muita inflexão espalhada por ai. Mas mais que isso ela parece que se expande sob efeito manada.

Recebo inflexão e transmito ela pra alguém, por inconsciência talvez de que o que estou fazendo é apoiando para que essa energia de conflito aumente ao invés do contrario.

Ok, é possível que no momento delicado de tensão social que vivemos a inflexão uns com os outros esteja aflorada a níveis insuportáveis.

Vamos tornar mais simples, o quão inflexível estamos com nós mesmos?

Por comparação, começamos a nos cobrar. Eu devia, eu tenho que, só eu estou de fora.

Passei um final de semana inteirinho com foco no meu filho, na minha casa, na minha esposa, enfim, dediquei meu final de semana a família. Não abri emails, acessei minimamente as redes sociais, não anotei nenhuma reflexão ou fiz qualquer tipo de trabalho. Simplesmente, acordei, comi, brinquei, dancei, passeei, descansei e sorri muito.

A depender da perspectiva, isso seria ótimo, excelente, me sinto e sou um privilegiado no contexto atual. Ainda assim, com tamanho privilégio, despertei na segunda feira me cobrando de não ter dedicado pelo menos 2 horas para as minhas tarefas pessoais. Depois de um final de semana livre, repleto de carinho e boas lembranças, acordei me cobrando. Inflexível comigo mesmo, se deixo essa cobrança se expandir, ou crescer dentro de mim, tenho a absoluta certeza que ela vai se expandir a outros, potencializando ainda mais essa inflexibilidade generalizada.

Em um momento em que o mundo precisa de calma, de carinho, de descanso e cuidado. Será que, eu proporcionar isso a mim não pode criar o efeito manada desejado?

Estou consciente de que eu estando bem, transmito esse bem a outros.

Minha intenção é propagar mais o bem, compartilhar amor, alegria e sabedoria no tempo presente.

Escolho aceitar minhas escolhas, confiando que faço o melhor que posso no tempo presente e não devo nem tenho o direito de me culpar imerso em tamanhos privilégios, se não me mover na direção contraria, abastecido de compaixão carinho e amor, ser mais flexível, distribuindo o pouco que tenho dessa tranquilidade e paz experimentada.

Que valor é esse?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f