Aos poucos pelo menos para mim, fui utilizando da rebeldia para construir um caminho diferente, fui um privilegiado de meus pais sempre deixarem meu caminho de escolhas aberto, para tomar o destino e rumo que eu bem entendesse, e mesmo assim não reconheci esta escolha sabia deles por um tempo. Sim mudei muito, sim troquei muito de emprego, sim sempre fui abrindo novas oportunidades. E por algum tempo as consultas psicológicas me ajudavam a me libertar do Rafa filho, para ser o Rafa pai.

Estamos aprendendo a não mais perguntar se podemos. Se pensamos em fazer algo, chamamos mais duas pessoas pra estar junto, para nos trazer um cuidado, e fazemos. As ações em trio, quebraram a necessidade de grupos enormes de trabalho. É a resposta, acho que não, mas neste momento tem funcionado bem.

Venho aprendendo nos últimos 10 dias que o que a simplify vem se tornando é algo difícil de explicar, de entender, mas a partir da primeira ou segunda interação, de uma participação num trio, tudo muda e fica mais simples, algo é feito, certo ou errado, e é refeito, e melhorado, e criado a oportunidade de evoluir. É a melhor forma que podia ser feita naquele momento.

Primeiro encontre o propósito de cada um, descubra as principais necessidades, se pergunte se eles viram um só, ou se são complementares, se pergunte como os recursos de um apoiam o outro. Converse sobre os aprendizados, sobre as ideias mais difíceis, sobre os principais obstáculos, e veja o que emerge.

Na simplify estamos aprendendo a ressignificar, uma simples impressora tem um poder enorme a imprimir um boletim de ocorrência, mas fica obsoleta nas outras 24h que não é utilizada, então ressignificamos pelo acesso e não pela posse, um móvel que chega a Simplify vai ser utilizado pelo tempo que for necessário e útil, até mesmo um presente que chega pode deixar de adornar um ambiente logo ali. Podendo ser devolvido a quem nos deu, ou ressignificado e destinado a outro local.

Se formos juntos na direção do novo e desconhecido caórdico, tenho só a certeza de que iremos aprender, cada um ao seu tempo, sem convencimentos, percebendo que na realidade as crenças limitantes não existem e não são verdadeiras, só estão dentro das nossas cabeças numa realidade virtual individual de cada um a partir das experiências que viveu.

Então para quê a SimplifY pra ti?

A SIMPLIFY PARA MIM É COMO O AMOR DE UM PAI/MÃE POR UM FILH@.

É difícil explicar toda a experiência da ma/paternidade para alguém que ainda não a viveu, é mais simples convidar para que experimente, e que cada um conte a narrativa da sua experiência de como é ser Pai ou Mãe.

A pergunta deste texto não é minha, e sim o PROPÓSITO DA SIMPLIFY, nosso guia invisível, nossa ferramenta mais poderosa, que muito provavelmente vai nos apoiar na resolução de qualquer conflito ou duvida de por onde seguir, simplesmente simplificando.

Em outro momento um individuo desempregado e no limite da situação de desespero, se aproximou, abriu toda sua vulnerabilidade escancarada para essas 5 pessoas sentadas conversando, e foi escutado, foi compreendido, acolhido, trocou abraços e seguiu seu caminho certo, de que no dia seguinte ele tinha onde ir, para poder colaborar com algo, trabalho ou troca, e certo de que talvez possa aprender algo novo, em um lugar vivo, que não existe remuneração, mas o trabalho é reconhecido a cada instante.

Estamos construindo um espaço vivo, a SIMPLIFY, e ver como ela evoluí a cada dia, com uma toalha a mais, um sabonete a mais, uma lâmpada a mais, uma estante que muda de lugar, uma nova cadeira que chega, uma nova parede que fica colorida, um cartaz artístico com rabiscos de muitos que melhora, um postit novo na parede, nomes novos que podem mudar…um espaço em transformação e evolução, onde cada nova interação de quem chega, muda e evolui o espaço o deixando melhor do que encontramos.