• Rafael Urquhart

Como me encaixo em um cenário diferente?

45 dias depois...


Acredito que nunca fiquei tanto tempo longe destas publicações, interessante o montante de 45 dias, e eu agora, aqui de Chapecó escrevendo de um cenário diferente.


A pergunta "Como me encaixo?" deve estar distribuída por aí na cabeça de muita gente.


Seja pelos motivos que forem, a autoimagem desassociada do lugar que se encontra, remete a essa necessidade padrão de pertencimento.


O cenário mudou, não é que as regras do jogo mudaram, mas sim o tabuleiro do jogo mudou. É outro agora, recomposto de novas formas de se jogar, simplesmente "diferente".


Consigo refletir a pergunta primeiro segmentando-a e depois analisando dentro do meu contexto atual. 6 semanas atrás eu residia em Curitiba, ainda sem rumo, um pouco perdido e desesperançoso com o futuro bem na verdade. Estava de todo modo correndo atras de oportunidades e desafios que mantivessem minhas "contas" pagas.


Nesse período, decisão rápida de mudar para Porto Alegre, mudar os ares, se aproximar das redes de apoio, me fortalecer em um lugar que cuida mais de mim. Nesse transito entre caixas, pacotes, novidades e desafios, uma proposta de entregar valor em outra cidade ainda mais distante, aqui em Chapecó, me experienciando num contexto ainda mais diferente, eu aqui em SC e minha família em Porto Alegre. Eu de volta ao campo da engenharia e de alguma forma conectado aos movimentos de inovação que rolaram lá no sul no South Summit.


Como me encaixo então? Neste cenário diferente.


Confesso que a primeira vista, a lista de como começa a ficar gigante, como buscar equilíbrio, encontrar o meu espaço, me fazer conhecer, construir mecanismos de conforto, segurança e apoio.


Mas para além das listas obvias, como mentalmente e emocionalmente, permito esse encaixe natural que se adapta a mais uma grande mudança. Como dou espaço para minha mente tecer novos hábitos, novas relações, novos formato de trabalho desassociados ao meu conforto anterior?


Parece que estou sempre buscando o como, me perguntando sobre o como. Neste cenário diferente o primeiro passo esta sendo conhecer, entender e definir os limites desse novo espaço/desafio. Ainda piso em ovos, mas documento estes passos. Busco entender o melhor do que está acontecendo, filtro aquilo que me aborrece, desapego de muitos hábitos que me faziam bem me abrindo a construir novos.


Sinto cansaço nesse início, já que demando mais energia de desapego, adaptação e resposta, e aos poucos, vou tornando o que antes era diferente, em algo comum no agora.


Como equilibrar a influência do conhecimento com o heroísmo revolvedor de problemas?

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não sei se parei, e também não sei se lutava ou luto. Talvez ainda exista uma resistência, e como um talvez é dúbio, e eu possa voltar a...