top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

Aonde buscar feedbacks?

Aonde ou com quem?

Me vem em mente o ponto mais próximo, nas próprias palavras escritas, pensamentos vividos e emoções sentidas.

A escrita faz com que eu possa me ler a mim mesmo e retroalimentar observações do presente com contextos passados. Talvez o melhor dos feedbacks sejam as perguntas que emergem nesse olhar. Qual pergunta emerge em mim frente a uma ação, pensamento ou emoção? Quais são esses questionamentos? Divagar sobre eles já é em si um auto-feedback à ser trabalhado..

Volto no “aonde”, e penso em um “local de aprendizagem imaginário”. Como se fosse possível arquitetar esse espaço invisível a cada instante, criando limite de contexto e espaço.

É no contexto de aprendizado que o feedback é bem recebido e tem valor.

Nenhum feedback é útil se não tivermos abertos a aprender. Portanto os feedbacks devem ser buscados em um contexto de aprendizagem. Pedir um feedback sem esse contexto pode incorrer num feedback mal dado ou inversamente mal recebido. É como que para essa informação fluir seja necessário esse canal fisico propositivo a evolução.

Como contar uma boa história?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page