• Rafael Urquhart

Como criar a si mesmo?

Se reinventar, cuidar de si, se preservar, se amar.

Fico com estas 4 perspectivas, dentre tantas outras possíveis que se cruzam.

Parece que tudo direcionado a si próprio fica mais complexo. É mais fácil verbalizar no direção do outro ou de algo, olhar pra fora é mais fácil que olhar pra dentro. Mexer fora é mais comum.

Toda pergunta que começa com como me desafia, me põe em movimento para encontrar formas, fórmulas, métodos ou jeitos de fazer algo. Como criar? Já seria uma pergunta em si poderosa e desafiante.

Como criar começando por você mesmo? Poderia ser ainda uma provocação perturbadora. É tipo aquele mantera “Faça para os outros o que gostaria que fizesse para você”. É algo conectado com a coerência de olhar para o nutricionista cima do peso, ou o professor de educação física que é sedentário, ou ainda para o mediador que grita com os filhos em casa. Ninguém é incoerente por acaso, todos somos incoerentes, talvez a coerência máxima seja o silêncio, silêncio pra fora e silêncio pra dentro, inerte a julgamentos.

Fico refletindo internamente onde pode estar esse como? Como inicia? Qual o processo ou processos possíveis? Como poderia checar se criei a mim mesmo?

Não encontro resposta alguma, por que talvez não seja sobre mentalizar, materializar ou fazer algo, e sim muito mais conectado ao não fazer.

Observar, silenciar e sentir. E mais um ciclo, observar, silenciar e sentir.

Talvez escrever sobre o que sente distante dos olhos de quem lê, quase que um escrever amassar e jogar fora. Transcrever o que não pode ser entendido. Rabiscar, desenhar, não sei.

Papel e mente se atrapalham. Se confundem.

Talvez, a opção, ou uma das opções seja simplesmente relaxar ao observar, silenciar sorrindo e sentir na luz mais clara possível, materializando no corpo a energia percebida, a consciência expandida e um novo respirar sentido. Vai ficar tudo bem, sempre fica tudo bem.

Desse positivo estamos cuidados, estamos nutridos, acariciados por nos mesmos, com a respiração equilibrada para os novos aprendizados que surgirem.

O que é perder?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f