• Rafael Urquhart

Como criar estruturas que nos apoiem no trabalho?

Criar estruturas que “nos” apoiem…

Estruturas para nós é um pensamento sistêmico orientado ao futuro por si só. Pense que neste momento eu posso estar escrevendo um texto simples, uma reflexão, que talvez revele algo para outra pessoa no futuro. Talvez num outro contexto, num outro desafio ou por que não, outro trabalho.

Engraçado que eu trago a pergunta num contexto de trabalho, aos poucos percebo que tudo é trabalho, nós que criamos os limites de quando estamos nos divertindo ou quando estamos trabalhando. Mais que isso nos criamos os limites se estou fazendo algo com um objetivo específico ou atendendo a vários objetivos ao mesmo tempo.

Pauso pra voltar as estruturas, hoje enquanto iniciei minha escrita, com a a ajuda do João Sholcz, nos ocorreu de gravar esse processo, para contar como funciona esta estrutura, parece simples, mas o pensamento de deixar algo como outra mídia de comunicação é por si só uma nova estrutura que pode apoiar no meu trabalho de comunicar. Para além de um video gravado, bem gravado ou mal gravado, ele é só mais um video, que pode conduzir a uma nova estrutura.

Ok, a coisa ficou enrolada, vamos para o simples. A estrutura que me apoia a esta escrita, o Squarespace, é em si uma estrutura criada por muitos que apoia o meu trabalho, ao mesmo instante a estrutura de escrever através de perguntas também é uma estrutura que apoia o meu trabalho, adiciono ainda a minha forma de escrita em que nos primeiros parágrafos eu busco as afirmações contidas na pergunta que me fazem refletir, depois amplio o campo de possibilidades dessas perguntas, fechando ou convergindo para oo meu contexto especifico do momento presente no qual estou hoje, agora e que pode já não ser o mesmo amanhã, ao final do texto procuro refletir sobre um novo pensamento simples que gostaria de compartilhar, e toda essa história é também em si uma estrutura.

Olhar para essa narrativa me remete a pergunta novamente sobre o “Como”, afinal existe a forma que expliquei, as estruturas que utilizo, mas como posso replicar isso para outros contextos que não só a escrita. Gravar um video explicando e depois retomando ele ao final da escrita, pode ser uma nova estrutura. Olhar com atenção através de outra perspectiva para o como fazemos o que fazemos, pode nos trazer um olhar de jornada, de processo concatenado em sequencia, colocando em ordem todos os passos que damos quando fazemos algo.

Se conseguimos visualizar a jornada, entender os passos, aos poucos vamos estruturando estes passos de uma forma mais automática, mais simples onde já não pensamos e corremos o processo no automático, cada vez mais simples e com menos bloqueios, se isso acontece, chego a uma possível conclusão que existe algo nesse processo, uma estrutura que talvez possa ser replicada e apoie não só o meu trabalho como o de muitos.

Simples ou complicado, não importa, o que importa é a percepção de apoio, de ajuda, de recurso que reside nesta estrutura, não salientei no inicio do texto, mas o contexto está em estruturas que “nos apoiem”, não só a mim, mas sim a muitos, isso nos reforça o ponto importante e não dispensável que muitas vezes criamos estruturas que apoiam somente a mim e acabam por atrapalhar os demais, já que não olhamos para todos aqueles que se envolvem nesse processo. Portanto, quando criamos estruturas que beneficiam a pelo menos mais uma pessoa além de mim, talvez, de forma intuitiva e inconsciente estejamos criando estruturas de bem comum que apoiem a muitos outros.

Quais estruturas já me percebi criando e como elas podem ajudar outros?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f