• Rafael Urquhart

Como lidar com o desconforto?

Lidar é uma palavra extremamente forte, na minha região está conectado ao trabalho ou também associado a situações difíceis, lidar com a gadaria ou lidar com a peonada.

O desconforto por si só se torna uma situação difícil, tenho andado ultimamente desconfortável com as imposições, com a falta de bom senso e principalmente desconfortável com meus tempos.

Esse como acaba ficando dinâmico, tem dias que simplesmente ignoro tudo que me desconforta, ligo o modo off, não do bola, sigo firme, procuro não pensar nisso pra não desperdiçar tempo e sigo firme naquilo que preciso fazer para atingir o conforto ou a sensação de dever cumprido.

Tem os dias mais difíceis onde o desconforto toma conta de mim, me paralisa, me impede de fazer e meus pensamentos flutuam na direção dele o tempo todo, magicamente esses dias tem seu sentimento ruim, mas também são nutridos de uma série de aprendizados pelo observar do desconforto e buscar soluções pra ele.

Na grande maioria das vezes o que eu acredito que seja a solução para ultrapassar o desconforto não acontece, se fico batendo na tecla para que aconteça o que quero o volume do desconforto sobe incrivelmente e ele toma conta do ambiente. Nesses casos o que tenho feito é silenciar, olhar para quem esta a volta e não está desconfortável e aos poucos, saindo do foco do desconforto busco alternativas ou outras soluções não pensadas.

O desconforto por si só já é a manifestação de algo não positivo, permanecer em desconforto não parece ser uma alternativa, muito embora em inúmeras situações aparentemente não se tem o que fazer. Por mais que a situação não mude, e por exemplo eu tenha que trabalhar sufocado por uma mascara por 4 horas seguidas, ainda assim é possível encontrar bom humor, numa mascara colorida, numa brincadeira ou outra com a mesma, até que esse novo hábito e passageiro desconforto seja tão natural quanto utilizar uma meia ou uma jaqueta no inverno.

Qual a pressão de uma lista de afazeres?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f