• Rafael Urquhart

Como nos deixarmos sermos surpreendidos pelo caos?

Todos gostamos de surpresas, mas detestamos quando algo que planejamos, idealizamos, pensamos ou visualizamos sai de forma diferente a nossa.

O Caos é o movimento acelerado de situações que desconhecemos, é como se o desconhecido nos pregasse peças em sequência, é o desordenamento sistêmico que antecede a emergência do novo. Simples assim, na minha ótica individual, o caos é pra ser vivido e não entendido. Entender o caos beira a loucura devido a sua sensibilidade extrema de que pequenos movimentos ou ações alterem o todo bruscamente não deixando humano capaz de interpretação.

É sobre permitir, aceitar, soltar e sentir o vento. É como se alguém te conduzisse numa dança que não sabes o próximo passo. É deixar e ao mesmo tempo estar presente, por que a cada movimento ou passo dado, o ordenamento se transforma, algo acontece. Sim podemos olhar para o que já aconteceu e colher informações, padrões e percepções que nos apoiam e nos abastecem de ordem para próximos passos, mas idealizar que as coisas saíram a nossa maneira é uma estupidez.

O caos pode ser um convite inesperado, para um encontro de emergência, onde pessoas se reunem sem saber ao certo a intenção do encontro. São surpreendidas por um convite a um grupo fechado, e ao reagirem a esse convite de forma negativa, outra possibilidade surge, em meio ao caos, mas com a ordem de condução de que tudo que emerge é positivo, e de um simples pedido de ajuda surge um novo grupo repleto de sabedoria, apoio e paixão, como o circulo de anfitriões que emergiu neste dia 11.

Sobre o que fazer? Dicas do como? Sinta, perceba, SOLTE AS IDEALIZAÇÕES, elas só te apoiam pra dar um caminho, tente perceber a intenção real que esta por traz da forma idealizada, e deixe que esta intenção te guie em meio ao caos e ao caórdico da tua mente, permitindo ouvir o máximo de vozes para encontrarmos o caminho a seguir ( não o pior ou o melhor caminho, simplesmente UM caminho), simples, direto, talvez não definitivo, mas que permita uma nova escolha de correção através do Feedback do caos do universo.

Como a frustração se comporta em meio ao stress?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f