• Rafael Urquhart

Como se sentir equilibrado?

Em relação a que? A quem? A quando?

Equilíbrio parte do pressuposto que existem 2 lados ou um desequilíbrio. Numa gangorra por exemplo existe um eixo central e dois pontos que devem ter o mesmo peso, para se equilibrarem. Posso ainda buscar um equilíbrio mecânico, de uma bandeja sob um ponto fixo, ampliando ainda a quantidade de participantes, mas de qualquer forma, ao se buscar equilíbrio eu preciso no mínimo de um ponto de apoio e os objetos ou matérias a serem equilibradas.

Então eu preciso de um ponto de apoio ou referencia para poder observar o equilíbrio.

Meu corpo se equilibra ao ficar de pé, dizem que fazer robôs andarem e se equilibrarem são das tarefas mais difíceis. E portanto nos como humanos, ao nos percebermos equilibrados temos um diferencial frente a tudo que nos cerca.

Perceber-se equilibrado, fisicamente, mentalmente, economicamente, emocionalmente, e em tantos outros campos que podemos buscar equilíbrio, até mesmo na força de trabalho, nas tarefas do lar entre familiares.

Em tudo existe a perspectiva do equilíbrio, é como se quando estamos equilibrados existe um sinal na nossa cabeça relacionado a conforto, do tipo “Humm aqui sim, agora sim”.

Fico olhando para a pergunta sobre como se sentir, e mais uma vez a qualidade de presença vem primeiro, para poder sentir, eu preciso estar presente para perceber os detalhes, o contexto e todas as variáveis. Sem este perceber fica difícil sentir equilíbrio.

Num mundo tão desequilibrado, onde uns exploram os outros, e aparentemente sempre falta algo, ou sempre estamos em divida com alguém, parece impossível se sentir 100% equilibrado, é quase como uma utopia, em algum nível, em algum contexto ou perspectiva estamos desequilibrados com algo ou alguém.

Olho para o meu equilíbrio com o meio ambiente, ainda me sinto retirando mais que devolvendo, e não encontrei formas praticas e simples pra buscar este equilíbrio.

Por fim noto que o equilíbrio talvez seja o fim, mas a diversão está no meio, na busca por ele. É utópico mas me mantem em movimento na sua busca.

Se por uma dadiva eu me percebesse 100% equilibrado, o que estaria passando nos meus pensamentos?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f