top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

E se confiando nos tornamos apreciativos?

E se na confiança conseguimos olhar mais longe, por mais tempo?


Hoje assisti um video onde uma das mensagens foi do belo que está sempre na nossa frente, só depende da perspectiva e do tempo que ficamos olhando.

Me bateu forte um olhar de que precisamos perceber por mais tempo para poder ver a beleza e o positivo de tudo que nos acontece. Só que percebi que para dar esse tempo, precisamos confiar, em nós, no ambiente e no outro. É como se a partir dessa confiança emergisse a crença de que existe algo extraordinário neste instante que não estou vendo, procuro por alguns segundos e pronto, aí está.

É sobre dar-se tempo para apreciar a paisagem, o caminho de uma longa vida.

Sem apreciar é cómo se perdêssemos inúmeros momentos mágicos por estarmos fixados em problemas, imersos em duvidas e desconfiança. É mais simples, muito mais simples.

QUE TAL se ao simplificar olhássemos por mais temo, apreciássemos por mais alguns instantes até que o que realmente importa apareça, o mágico, o especial, o único e verdadeiro recado do universo.

Qual o limite da apreciação?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

Post: Blog2_Post
bottom of page