top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

O que me desconforta agora?

A necessidade de vender associada a pressão de ter que estar com meu conta-giro ligado sendo pago por algo.


Me desconforta o medo de não dar conta.


Me desconforta o próprio desconforto.


Não é simples falar disso, e não me vitimizo por saber que não sofro sozinho, que estamos todos numa corrida de sobrevivência, pelo menos a grande maioria. Sei dos meus privilégios que me isolam num grupo grande mas pouco representativo de pessoas que consegue transformar o seu conhecimento em valor.


Poder escrever sobre o meu desconforto já é em si um privilégio. Ter o tempo necessário para analisar o que esta acontecendo agora não é comum, são poucos que se dão esse tempo e por incrível que pareça neste exato momento isso também me desconforta.


Se pararmos para pensar, observar e respirar, vamos encontrar algo que nos desconforta, e isso pode ser ruim, como pode ser bom, afinal o movimento nasce de um desconforto. Fico preso ao "das" tentando levar meus pensamentos para o que me conforta agora, não para fugir da pergunta, mas para colocar em evidência o extremo. Me conforta o básico, eu e minha família temos onde dormir, o que comer, calor e saúde para passar mais este dia. Isso já me isola de um grande número de pessoas que não tem esse conforto hoje.


O medo é sempre desconfortante, foi através dele que escrevi meu primeiro texto. Mas qual o paralelo do medo que esta associado ao conforto? A confiança? Ou a segurança?


Fico com a última, de que talvez a segurança conforte. A segurança para poder dormir, para poder comer, para poder vestir, para poder experimentar. A segurança do fazer.


Talvez a segurança financeira seja a mais distante e atingível pra um grupo ainda menor, mas será que essa segurança ou esse conforto não está associada a um sistema que já não funciona.


Qual o volume do meu desconforto para mudar o sistema?



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page