• Rafael Urquhart

Quais as regras vcs precisa para dar o seu melhor?

Interessante que esta pergunta ficou aberta por mais de 15 dias, precisamente por 18 dias. Estive duas vezes frente a ela e não consegui dar o meu melhor, talvez por que não fosse o momento, talvez por que não criei as melhores regras para mim, talvez por que realmente essa pergunta precisava de 18 dias pra ser refletida.

Ela contém uma pergunta poderosa dentro dela, o que te impede e o que te apoia a dar o seu melhor?

Fico me perguntando se estou sempre dando o meu melhor, ou estou dando o suficiente de mim, parecem distantes num primeiro olhar, mas o limear que separa essas duas percepções é muito sensível. Sei internamente que nem sempre estou dando o meu melhor, algo em mim diz que eu poderia dar mais, portanto não é o meu melhor. Da mesma forma meu inconsciente as vezes não percebe que baseado no contexto, e com todas adversidades e cansaços, naquele contexto sim, o que entreguei foi o meu melhor, e é sempre o meu melhor, afinal já passou, posso olhar pro aprendizado e evoluir.

Parece bobo, ou até mesmo maluquice, mas existe um ponto interno de cobrança me frustrando constantemente com relação ao que espero das minhas entregas, do meu melhor. Coloco metas difíceis de atingir, claro que as vezes consigo, mas na grande maioria não e fico sentindo que não dei o meu melhor, que podia mais.

Uma volta em reflexões mas retomamos a pergunta principal, quais regras eu preciso criar para mim mesmo, e em quais regras externas eu funciono melhor.

Liberdade x Controle (Quais regras para equilibrar esse jogo?)

Prioridade (Como definir as prioridades que me permitem fazer melhor?)

Autocuidado (Como perceber os limites e aceitar o que não deu certo)

Limites de aceitação (Como ser leve e olhar para o que deu certo?)

Tempo (Dar-se o tempo)

Escolhi 5 contextos, ou 5 pontos interessantes a se construir regras/acordos neste contexto. Passei os últimos dias num ritmo frenético de entregas e trabalhos, com expectativas extremamente elevadas. Fui atropelado pelo tempo, atropelado pelos afazeres e ao mesmo tempo atropelado pelas escolhas que fiz. Pouco tempo pra pensar e refletir, ou melhor, não criei as regras suficientes para dar estes espaços de respiro e oxigenação das idéias, aceitação e autocuidado.

No fim das contas estou fazendo o melhor possível, o melhor que posso com os recursos que tenho neste momento. E se, não perceber que foi o melhor, é por que pude aprender com o que fiz para melhorar na próxima vez.

Qual a importância de se dar foco?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f