• Rafael Urquhart

Quais sentimentos brotam quando ciclos se fecham?

Perguntas que envolvem sentimentos parecem num primeiro olhar mais complexas, é difícil buscar sentimentos relativos a acontecimentos que geram impacto gigante no consciente.

Estamos abrindo e fechando ciclos a todo instante, em negócios, trabalho, família, relações e individualmente com nós mesmos quando fechamos o ciclo de dormir todo dia e precisamos despertar.

Quero focar nos ciclos de projetos, que envolvem por si só relações e ciclos de aceitação e acordos internos para suporta-los. Quando o ciclo de um projeto se abre, na sua largada ele é repleto de expectativas, sonhos, aspirações, hipóteses e perspectivas positivas de futuro.

No decorrer invariavelmente nada sai como o planejado, e outras coisas emergem tanto pelo viés positivo como negativo, independente do percurso do ciclo, ou do tempo dele, em algum momento é necessário encerrar este CICLO DE PARTICIPAÇÃO, isso normalmente não quer dizer que o projeto se encerre, mas o ciclo do participante sim.

Busco nos meus sentimentos do encerrar de ciclo de participação na Simplify. O que me ocorre primeiro são sentimentos de frustração e tristeza, em função das expectativas não alcançadas, logo em seguida se segue uma nostalgia ou saudade que não sei se podem ser descritos em sentimentos, mas podem ser sentidos e não precisam de explicação. Abrir a porta, estar com regularidade naquele lugar mágico, é por obvio que vai deixar saudades. Os sentimentos que seguem são do tipo “cair na real”, ou de aceitação que tudo na natureza nasce e morre, nada é perpétuo. A mescla de sentimentos de tristeza com sentimentos de lucidez escolher novos caminhos acabam gerando pensamentos em esteira corrente que podem em algum momento paralisar.

Talvez o sentimento mais complexo seja o de incompreenção, é natural julgamentos de todos que se relacionaram com alguém que escolhe encerrar um ciclo. Muitos tentam entender, outros entendem e concordam, outros com um pouco menos de informação percebem um abandono, e entre todas as perspectivas, nenhuma delas se compara a de quem vive o encerramento de ciclo, afinal se falamos de sentimentos, um sentimento que dói é o de ACEITAÇÃO ou APROVAÇÃO, sei que talvez não sejam sentimentos, sejam necessidades, ma o sentir o nível desse Feedback tbm é complexo ao final de um ciclo.

Não quero fechar os sentimentos só no individuo que encerra o ciclo, existe também os sentimentos de quem fica, alguns com sentimentos de perda, outros de abandono, outros ainda com indignação ou até mesmo resignação. Quando alguém encerra um ciclo em um projeto, mudanças de toda ordem emergem para os que ficam, as vezes uma substituição, novos papeis, novas jornadas, um recomeçar causado pela escolha de outro que encerrou o seu ciclo.

Para quem fecha o ciclo, o sentimento de URGÊNCIA é importante, afinal uma escolha e decisão foi tomada, prolongar os laços que arrastam o final deste ciclo causam mais trabalho, mais dores, e consequentemente um volume maior de sentimentos que paralisam.

Migrando do viés critico e negativo para o objetivo. O sentimento de dever cumprido também emerge, independente do sucesso ou não do projeto, afinal independente do andamento do projeto, teve muita realização, muita fazeção, muita ideação e entrega de energia. Independente do julgamento, se entramos em um projeto para dar o nosso melhor, é natural que o sentimento de dever cumprido sobre tudo que experimentamos seja verdadeiro aos olhos de quem o fez.

O sentimento de completude com ganho de experiencia. O sentimento de coragem (que não é um sentimento evidente, mas remete ao sentir força por dar um passo incomum na escolha de encerrar) quando a escolha e feita, e só se olha pra frente, olhando pra traz apenas para colher as sementes que serão levadas na bagagem para novos plantios.

Encerramos ciclos para abrir outros, e esse tomar de espaço fica evidente quando soltamos o ar na respiração para que um novo ar possa adentrar, o ciclo mais natural da vida refletido na respiração, pode dar essa noção clara de abrir um espaço para a chegada do novo. O sentimento de alivio, e de potência para recomeçar, para continuar talvez, por que quando um ciclo termina não quer dizer que ele se desfaça, pode ser uma versão 2 de um ciclo já experimentando.

Enfim, aprender a soltar, deixar ir, e respeitar toda a avalanche de sentimentos que brotam quando fechamos ciclos talvez seja tão importante quanto o aprender a respirar, faz parte da vida, e faz parte do viver em paz e de bem consigo mesmo.

Como perceber a simplicidade escondida no dia a dia?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f