top of page
  • Foto do escritorRafael Urquhart

Quantas pessoas precisamos para erguer um filho?

Já ouvi muitas vezes que nas tribos mais antigas, e nas tribos aborígenes australianas, é preciso a energia de uma tribo inteira para suprir as necessidades do crescimento de uma nova criança que vem ao mundo.

Olho para os lados e vejo pais e mães, lutando com unhas e dentes vencendo este desafio sozinhos, como todo mundo faz, com alguns apoios familiares. Vejo outras mães sozinhas, sem apoio algum dando vida a novas crianças, assim como vejo também em grande maioria no mundo, crianças sem pai nem mãe, sem estrutura alguma, virando indivíduos frente a todas as adversidades.

Me peguei hoje contando quantas pessoas, de alguma forma, desde o nascimento do meu filho, colaborarão, trabalharam ou cuidaram dele.

No nascimento, era uma equipe de 8 pessoas, na maternidade, entre os 2 turnos, 8 pessoas cuidaram do Benjamin, na recuperação da Suélen mais 6 pessoas, e em menos de 6 horas de vida ao menos 20 pessoas já tinham ajudado o Benjamin a estar vivo, sem contar é claro o Papai e a Mamãe, e todos os familiares, avós, tios que cuidaram do antes do nascimento.

Passaram as horas e durante o dia de ontem, ao menos mais 12 enfermeir@s estiveram com o Benjamin, somados aos avós e visitas, o número incrivelmente passou de 40 pessoas que já tornam possível a vida do Benjamin. Posso juntar ainda as mais de 500 mensagens de carinhos de amigos, familiares, e os que não estão próximos, mas que mandaram luz e uma boa hora, para o Benjamin, vibrando em energias positivas pela sua chegada.

Paro olho e vejo que em 2 dias ele já movimentou muito mais que uma tribo, uma legião de boas energias que nos apoiam a mim e a Suélen a dar suporte e vida ao Benjamin junto ao apoio de todos aqueles que se sentirem próximos para apoiar, junto com a mana Caroline que prometeu não deixar ninguém que não tenha passado álcool nas mãos pegar o Ben.

É incrível realmente a quantidade de pessoas que precisamos para erguer um filho, ainda virão pediatras, professores, merendeiras, cozinheiros, faxineiras, pedreiros, colegas, amigos e mais amigos, e tantas outras profissões e pessoas que irão tornar a personalidade do Benjamin única a partir da qualidade e quantidade de interações que ele vai ter ao longo da vida dele.

Qual a importância do respeito aos acordos em nossas vidas?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...e se tudo fosse sobre aprender?

Uma premissa básica talvez? Uma constatação quem sabe? Triste ou feliz, tenso ou relaxado, rico ou pobre, bem ou mal, sei la quantos outros paradoxos extremados binários em que por padrão comum carreg

E de fato o que é sonhar?

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f

コメント


Post: Blog2_Post
bottom of page