• Rafael Urquhart

Ser ou parecer?

Ser sem sombra de dúvidas. Mas lembro que ainda vivemos na sociedade do parecer onde ser não bata.

É estranho por que se alguém parece mas não é, esta tudo bem até que o tempo é quem mostra a verdade e lá na frente cobra o seu preço. É incrível que para quem o é, não basta ser, tem que além de ser parecer.

Faço essa reflexão, pois temos que sempre que parecer mais do que somos, seja no vestir, no comunicar, ou no vender. Vende aquele que parece mais. Me é e sempre me foi complicada essa lógica. Naveguei por um tempo na síndrome do impostor, em achar que sou mais do que os outros pensam que sou, por não transparecer. Isso pode ser verdade em muitos dos casos, e é fácil de se cair nesse lugar, afinal aos olhos dos outros so somos o que mostramos ser, natural não?

Quando olho para o “OU”da pergunta fica difícil argumentar com um “E”, e sim me é perceptível que talvez a resposta seja “ser e transparecer”. Dar transparência ao que se é, se permitir visível e acessível aos que te cercam pode fazer com que não seja mais necessário parecer, afinal neste último fica sempre a dúvida, é ou não é?

Como se mostrar mais transparente a quem se é?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Um verbo. Pronto, até aqui concordamos todos. Este é o limite do meu consicente, do pensar, do entender que consigo conectar com qualquer um que me lê, até o meu eu do futuro. O que é? Para quem? De f